Governo inglês abre caça a "burlões de subsídios" a viver em Portugal

Os britânicos que residam em Portugal e estejam a beneficiar ilegalmente de subsídios podem, a partir de agora, ser denunciados através de uma linha telefónica criada pelo Ministério do Trabalho e Pensões do Reino Unido.

À semelhança do que já acontece com Espanha há dois anos, as denúncias podem ser feitas através de um telefone local gratuito ou na página de internet do Ministério, sendo depois investigadas no Reino Unido.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros britânico estima que vivam em Portugal cerca de 30 mil britânicos, dos quais pelo menos oito mil são pensionistas ou recebem subsídios.

É possível residir ou viajar para o estrangeiro e manter subvenções do Estado, mas em alguns casos pode ser necessário avisar primeiro para confirmar se as circunstâncias mudam, como por exemplo os subsídios de desemprego ou os suplementos ao rendimento e às pensões de reforma.

Todavia, as principais denúncias feitas em Espanha, que começou em Alicante e alargada em 2009 a Málaga, Costa do Sol e ilhas Canárias, têm estado mais relacionadas com subsídios de incapacidade ou deficiência.

De acordo com o ministro para a Reforma da Segurança Social, David Freud, "a fraude no estrangeiro custa aos contribuintes perto de 66 milhões de libras (75,2 milhões de euros) por ano".

Apesar de ser destinada a britânicos, foi também criada uma versão em português do apelo para denunciar "os burlões de subsídios que viajam para o estrangeiro".

Teoricamente, pode visar também portugueses que tenham vivido no Reino Unido e ainda recebam subsídios sociais britânicos, apesar de terem regressado a Portugal, mas o governo britânico está mais preocupado com os seus expatriados.

"A linha (telefónica) destina-se a combater a fraude dos benefícios britânicos no estrangeiro, mas qualquer pessoa, portugueses ou outros imigrantes (britânicos) podem comunicar as suas suspeitas", vincou o porta-voz.
Fonte: JN

Comentários