Das virtudes da livre concorrência e do Estado social

Por Joaquim Simões no Portugal e outras touradas
Esta semana tive que acompanhar um familiar meu a um hospital para exames anuais de rotina. E fiquei a saber algumas coisas interessantes.
O meu familiar necessita de um tratamento diário durante todo o resto da sua vida, cujo custo médio mensal orçava, até há pouco tempo, em € 375. Esse montante era comparticipado pela ADSE em 80%, o que significa que o reembolsavam em € 300 (num prazo de aproximadamente 30 dias), ficando, portanto, com um encargo de € 75 por mês. Tempos atrás, porém, sem qualquer explicação, o custo do mesmo tratamento passou aos € 235, isto é, reduziu-se em quase 40%!!!
Só agora ele e eu nos apercebemos, em conversa informal com elementos do hospital, o que se terá passado.

A ADSE firmou contrato com duas empresas desse sector do fornecimento de serviços, ambas estrangeiras. Mas, há cerca de um ano, apareceu uma terceira empresa, nacional, que se propunha prestar esses mesmos serviços a custos muito inferiores.
O resultado está à vista.

Para terminar, dois pequenos apontamentos:
- A quantia mensal suportada pelo meu familiar, manteve-se inalterada;
- O mesmo tratamento, se receitado através da Segurança Social, fica a custo... zero para o doente!!!

Comentários