Fazer de Coimbra uma cidade mais tolerante

O objectivo é tentar levar Coimbra a ser mais tolerante e que as pessoas passem a olhar para os jovens com deficiência com a dignidade e o respeito que merecem. Por isso, a Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM) de Coimbra, a Liga dos Amigos dos Hospitais da Universidade de Coimbra (LAHUC) e o Grupo Almedina uniram-se para levar a efeito um conjunto de iniciativas, aproveitando o Dia Internacional da Tolerância (que se assinala no próximo dia 16) num Ano Europeu de Combate à Pobreza e Exclusão Social.

Segundo Helena Albuquerque, pode-se dizer que as comemorações do Dia Internacional da Tolerância se dividirão em «dois grandes projectos». Uma gala comemorativa, na terça-feira, com início às 14h30, no auditório dos HUC. Será constituída por uma primeira parte onde o Grupo de Expressão Dramática e Música da APPACDM apresentará o conto chinês “O pote vazio” e uma segunda parte com o grupo cultural “O Cabaz”, da Organização dos Estudantes Guineenses em Coimbra.

O conto chinês, explicou a presidente da APPACDM Coimbra, envolverá um espectáculo de expressão dramática, teatro e música. A segunda parte será preenchida com histórias e música da Guiné. «É evidente que a escolha destes grupos não foi arbitrária, tornando presente e valorizando as capacidades de dois dos grupos mais sujeitos à discriminação como são os deficientes e os de raça diferente», sublinhou.
No intervalo do espectáculo será assinado um protocolo entre a APPACDM e a LAHUC segundo o qual esta última instituição se compromete a acompanhar os jovens daquela associação nos Hospitais da Universidade de Coimbra nas consultas externas ou em caso de internamento. «Um apoio precioso para nós, porque como todos sabemos que, muitas vezes, os serviços de saúde não estão preparados para acolher jovens que necessitam de cuidados especiais nem os nossos profissionais de saúde estão preparados muitas vezes para os atenderem», considerou Helena Albuquerque.

Ciclo de colóquios

Ainda de acordo com o protocolo, a APPACDM de Coimbra fará um desconto de 10% em todos os seus serviços do Centro de Medicina Física e Reabilitação de S. Silvestre aos sócios da LAHUC.
O outro grande projecto, a desenvolver em parceria com a Galeria Almedina, é um ciclo de colóquios sobre a tolerância. Estão previstas presenças de José Pio Abreu, psiquiatra nos HUC (dia 15); Luís Borges, presidente da Sociedade Portuguesa de Neuropediatria (17); Álvaro Laborinho Lúcio, juiz conselheiro do Supremo Tribunal de Justiça (19); do sociólogo Pedro Hespanha (22) e da socióloga e investigadora do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, Sílvia Maeso (26).
Além de Helena Albuquerque e Isabel Garcia, estiveram presentes na sessão de divulgação das iniciativas, que teve lugar na Livraria Almedina Estádio, António Sérgio, adjunto do governador civil de Coimbra, e Carlos Pinto, administrador do Grupo Almedina.

Constituição da biblioteca da APPACDM Coimbra

A Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental de Coimbra e a Almedina assinaram, no final do encontro, um protocolo onde aquele grupo se compromete a contribuir para a constituição de uma biblioteca e que englobará livros para os jovens e técnicos da APPACDM Coimbra. O documento prevê ainda a atribuição de um cartão cliente de descontos para os sócios desta associação. Diário de Coimbra

Comentários