Utentes obrigados a subir 36 degraus


O foco da discussão é a avaria dos elevadores da estação de comboios de S. Pedro, recentemente remodela para a construção de uma passagem pedonal inferior, que faz a ligação entre os lados Norte e Sul da linha. Uma obra muito contestada pelos utentes e comerciantes da zona, mas uma medida que a autarquia achou necessária para diminuir o número de atropelamentos na linha férrea. Os utentes são obrigados a usar as escadas.

"Todos os dias tenho de subir e descer 36 degraus", disse, indignada, Regina Gonçalves, de 80 anos. Uma rotina que se arrasta há 15 dias. Esta reformada alerta para o facto de a estação de comboios ser usada por idosos, muitos deles com problemas de saúde. Porém, a ausência de elevadores também dificulta a circulação de deficientes e carrinhos de bebé. "Os dois elevadores exteriores são da responsabilidade da Câmara de Cascais", acusa a utente, denunciando a existência de um litígio entre a autarquia e a Refer, que levou a câmara a cortar a electricidade "sem aviso prévio".

Regina Gonçalves contactou com a Câmara de Cascais, que garantiu o envio de um técnico para resolver o problema. Mas ontem o problema persistia.

Contactada pelo CM, a Rede Ferroviária Nacional (Refer) diz ter conhecimento da existência de dois elevadores avariados na estação de S. Pedro do Estoril, remetendo a responsabilidade da manutenção para a autarquia de Cascais. A mesma fonte negou a existência de qualquer litígio entre a Câmara e a empresa.

Por sua vez, a autarquia esclarece que os "elevadores ainda estavam a ser alimentados via contador de obra e a EDP terá efectuado o corte, uma vez que a obra ficou terminada". A câmara acrescenta que já foi solicitada à EDP a instalação dos contadores definitivos, um processo que diz ser "burocrático" e "demorado". CM

Comentários