Faltam licenciaturas em educação sénior


Existem só duas licenciaturas em Educação Sénior a funcionar em Portugal, o que será insuficiente para aos desafios de um envelhecimento populacional. A constatação é de Ana Noronha, psicóloga e coordenadora da Licenciatura em Educação Sénior.

A responsável, que intervinha no 1.º Intercâmbio Institucional para a Promoção da Pessoa com Deficiência, quarta-feira, no Instituto de Estudos Superiores em Fafe, destacou o carácter abrangente da intervenção destes profissionais e a sua prontidão no diagnóstico das necessidades existentes na região.
Aludiu à fragilidade das respostas sociais para o envelhecimento da população em geral e para o envelhecimento dos portadores de deficiências.

Intercâmbio institucional

O 1.º Intercâmbio Institucional para a Promoção da Pessoa com Deficiência foi organizado pelo núcleo de estágio da Licenciatura em Educação Sénior da Escola Superior de Educação de Fafe e contou com a participação da Cercigui (Cooperativa de Educação e Reabilitação de Crianças inadaptadas de Guimarães), da Fundação António Joaquim Gomes da Cunha, de Cabeceiras de Basto, e da Escola Superior de Educação de Fafe.

O programa do evento decorreu em duas dimensões paralelas que se foram entrecruzando ao longo do dia: reuniões ao nível de dirigentes das instituições para avaliação de áreas de intervenção comuns e criação de sinergias entre as instituições e encontros com carácter informal dos alunos e educadores das três instituições envolvidas
Elementos das três instituições participaram numa visita às instalações do Instituto de Estudos Superiores de Fafe. Correio do Minho

Comentários