Cerca de 700 mil portugueses ficaram sem médico de família em 2010

A aposentação de mais de 450 médicos de família em 2010 deixou 675 mil portugueses sem médico, a juntar aos muitos milhares que já não tinham.

O Diário de Notícias escreve hoje que mais de 740 clínicos abandonaram o Serviço Nacional de Saúde no ano passado. E até Março mais 260 vão aposentar-se. Os números são da Federação Nacional dos Médicos.

Isto apesar das medidas do Governo para travar a falta de profissionais nos centros de saúde. Os sindicatos alegam que a idade está longe de ser o principal motivo para estas saídas em catadupa.

"É o desencanto com a falta de concursos, congelamentos, e com as discrepâncias introduzidas pelos contratos individuais de trabalho", avança o Sindicato Independente dos Médicos. Económico

Comentários