Sé Catedral de Viseu vai ser acessível


A Sé Catedral de Viseu vai ser alvo de uma intervenção de requalificação orçada em cerca de 2,4 milhões de euros, estimando-se que as obras tenham início no próximo ano e estejam concluídas até 2015.

De acordo com a coordenadora do Departamento dos Bens Culturais da Diocese de Viseu, Fátima Eusébio, “seria bom sinal” se as obras estivessem no terreno em meados do próximo ano. “Esperamos estar também em condições de em 2014/2015 fazer as comemorações da dedicação da nossa Catedral a Nossa Senhora já com este espaço renovado”, acrescentou.

No final da cerimónia de assinatura de um protocolo de colaboração entre a Direção Regional de Cultura do Centro e o Cabido da Catedral de Viseu, para a realização da intervenção da Sé de Viseu, no âmbito do Projeto da Rota das Catedrais, Fátima Eusébio informou que as obras vão custar aproximadamente 2,4 milhões de euros. “Vai ser financiado a 80 por cento a fundo perdido (QREN) e os 20 por cento subjacentes serão financiados em dez por cento pela Direção-Geral de Cultura e em dez por cento pelo Cabido da Sé de Viseu”, explicou.

Durante a cerimónia, o arquiteto responsável, Antero de Carvalho, revelou as linhas orientadoras de um projeto que ainda está a ser elaborado e que tem como prioritária a resolução dos problemas relacionados com as coberturas. Além da eliminação de humidades e infiltrações, será ainda feita a limpeza de paredes e reparação de caixilharias, bem como uma revisão em termos de iluminação. Será também enquadrada a segurança do edifício, para além do seu aquecimento.

Antero de Carvalho avançou que as obras incidirão ainda no “restauro do património móvel integrado (talha, azulejaria, sacristia e estatuária)” e na “criação de acessibilidade plena a todas as áreas do edifício”, incluindo a reabilitação da Casa de Santa Maria, sendo criado um novo acesso (escada e elevador) ao núcleo museológico. Ali nascerá uma área de acolhimento ao turista e a loja da catedral.

O secretário de Estado da Cultura, Elísio Summavielle, considerou que o acordo assinado, no âmbito do Projeto da Rota das Catedrais, “é histórico”. O Projeto da Rota das Catedrais tem por objetivo a conservação e valorização do património arquitetónico e artístico de caráter religioso, constituído pelas catedrais e seu espólio artístico e cultural. Ao todo serão intervencionadas 23 catedrais do país.

A Sé Catedral de Viseu começou a ser construída no século XII, sofrendo ao longo dos séculos contributos de quase todos os estilos. “O resultado é bastante harmonioso e faz da catedral um edifício singular e que se destaca”, apontou Fátima Eusébio.

A coordenadora do Departamento dos Bens Culturais da Diocese recordou ainda que a Sé de Viseu foi intervencionada pela última vez na década de 1990, com a colocação de um altar “inadequado ao espaço onde se encontra”. Revelou também que, no âmbito do projeto, está a ser equacionada uma possível intervenção no altar.

Fonte: Diário as Beiras

Comentários