Doentes podem ir ao estrangeiro se espera se prolongar


Em 2010, 24 mil utentes esperaram para lá do tempo legal por cirurgia. Em 2013, podem fazê-lo lá fora e Estado paga.

O Estado português pode ter de pagar o tratamento de doentes noutros países a partir de 2013, se não der resposta atempada em território nacional. Assim o obriga a directiva europeia publicada recentemente e que fixa as regras dos cuidados de saúde transfronteiriços.

Tendo em conta os dados de 2010 só em relação à lista de inscritos para cirurgia, 23758 utentes já estavam à espera de operação acima do tempo máximo permitido por lei. E quase 19 mil casos prioritários foram operados acima desse tempo. Duas situações em que os doentes podiam solicitar a intervenção noutro Estado membro da União Europeia.

A directiva europeia - que terá de ser transposta para os Estados membros até 25 de Outubro de 2013 - prevê que os países dêem autorização prévia ao reembolso de certos tratamentos. Mas em caso algum se pode travar a livre circulação de doentes.

Fonte: Deficiente Fórum

Comentários