Marcha pela Igualdade: Dia 11 de Junho vamos todos sair à rua


Somos cidadão portugueses com deficiência, independentes e sem ligação a nenhuma força política, religiosa ou associativa, que cansados de ver os seus sonhos roubados e direitos assassinados, resolveram agir.

Querem sensibilizar a população em geral para a nossa causa.

Mostrar à sociedade e poder político, que a deficiência existe e que é vivida todos os dias.

Que têm deveres mas também direitos como todos os outros cidadãos. Por isso, resolveram-nos mobilizar e sair para a rua, na tentativa de criar um movimento vivo e unido em prol de uma sociedade mais justa e inclusiva.

“Sabemos onde estamos, o que queremos!

Queremos ser felizes, respeitados, queremos o nosso espaço, entender que a vida não é tão complicada como nos fazem crer forçando-nos a interiorização da limitação de um caminho traçado.

Caminhamos pelo direito a escolher o nosso caminho, para que nos aceitem com as nossas diferenças, mas principalmente que nos deixem fazer acontecer e, por direito, fazer parte deste mundo e com ele interagir.

Excluídos não podemos mais continuar. Nós estamos em todo o lugar e ninguém nos vê.

Porquê?

Porque se recusam a olhar.

Estamos impedidos de entrar num hospital, clínica, restaurante, escola.

Afastados do emprego, educação, transportes públicos, impedidos de ter uma simples cadeira de rodas, cegos de atravessar uma passadeira sem ajuda, surdos privados das notícias dos telejornais…

Como não agirmos e nos unirmos?!

Vamos também mostrar a todos os outros que estão acamados, totalmente dependentes e seus familiares, que não estão sós.

Vemo-nos neles.

Desejamos e precisamos muito da vossa colaboração e participação.

Vamos provar que estão errados os que dizem que não somos unidos e incapazes de nos mobilizar.

Vamos juntos caminhar por uma sociedade que se deve assumir responsável e inclusiva, em que sejam respeitados os direitos e proporcionadas oportunidades a todos por IGUAL!! ”

Visite o nosso site e obtenha mais informações.

Conheça nossas reivindicações.

Nosso hino traduzido para lingua gestual.

Ficha de participação.

Comentários