Médica baleada pelo pai pode ficar tetraplégica


A médica Diana Santos, de 26 anos, que no sábado foi baleada três vezes pelo pai, em Almada, corre o sério risco de ficar tetraplégica, depois de um dos tiros a ter atingido na coluna vertebral. O progenitor não aceitou o namorado da filha. Já está preso.

A vítima vivia desde os 13 anos com o pai, António Santos, 60 anos, depois deste se separar da mãe. A relação era algo tumultuosa. "Ele era muito exigente com a filha. Só queria que ela estudasse para ser médica e quando ela lhe pedia para sair com as amigas havia sempre discussão", contou ao JN um morador da Rua Nova do Seixal, em Feijó, Almada, que é vizinho e amigo de ambos. Outro amigo da família chamava a atenção para o carácter "possessivo e controlador" de António Santos.

Fonte: JN

Comentários