Abrir Portas á Diferença


Existe em Portugal um programa de cariz social gerido pela Fundação INATEL, e comparticipado pelo Estado português, o programa «Abrir Portas à Diferença» que é desenvolvido no sentido de promover a possibilidade, a cidadãos portugueses portadores de deficiência permanente, independentemente da sua idade, de viajarem por todo o território continental, prevendo a estadia em regime de pensão completa em unidades hoteleiras da Fundação INATEL.

DESTINATÁRIOS
Cidadãos portugueses, independentemente da idade, com deficiências e incapacidades em grau igual ou superior a 60% e respectivos acompanhantes. O acesso ao Programa carece de candidatura junto dos serviços da Fundação INATEL. A candidatura poderá ser colectiva, apresentada por instituições ou associações representativas dos cidadãos com deficiências e incapacidades ou individual, quando o candidato se apresenta em nome individual.

VALORES APAGAR
Os custos do programa são suportados pela entidade financiadora e pelos participantes. Considerando a necessidade de salvaguardar a vocação social e integradora do programa, estabeleceu-se uma taxa única de pagamento para o participante de 35,00 € e uma outra para o acompanhante de 50,00 €, promovendo o crescente acesso aos cidadãos com deficiências e incapacidades.

PROGRAMA
Ao inscreverem-se, os grupos terão a oportunidade de usufruírem de um conjunto de actividades lúdicas ajustado aos mesmos e às diferentes realidades culturais e turísticas de cada região onde se realize.

No Programa estão incluídos os seguintes serviços:
• Estada com a duração de 6 dias e 5 noites;
• Alojamento em unidades hoteleiras INATEL, em regime de pensão completa;
• Actividades diversas de carácter cultural e recreativo;
• Acompanhamento permanente por animador sociocultural.

Todos os participantes e acompanhantes usufruem de seguro na modalidade de acidentes pessoais durante a estada.

AVISO: Antes de confirmar hotel, e se for tetraplégico, certifique-se se têm WC completamente adaptado ás nossas necessidades. Para que não lhe aconteça isto.

Também na minha coluna no Vida Mais Livre.

Fonte: Fundação Inatel

Comentários