Estudo de doutoramento sobre pessoas com lesão vértebo-medular traumática

Boa Tarde,

A pedido de José Bruno Teixeira Alves e Ana de Fátima Ribas Teixeira, estudantes de doutoramento, na área de Medicina de Saúde Pública, na Universidade de Santiago de Compostela, vimos solicitar a sua colaboração, num projecto sobre promoção da qualidade de vida nas pessoas com lesão medular traumática e seus cuidadores informais.

Se tiver lesão vértebro-medular traumática, solicitamos que envie os seguintes dados para o e-mail do investigador José Bruno Alves - pcjbta@gmail.com , para que possa ser contactado, com o intuito de lhe serem enviados uns questionários, por correio:
- E-mail
- Morada
- Telefone

As pessoas interessadas em colaborar serão contactadas telefonicamente pelos investigadores para esclarecer melhor o estudo e pedir o consentimento de participação.

Posteriormente, serão enviados, por correio, para a morada indicada, os respectivos questionários.

A participação neste estudo não tem qualquer custo para os participantes.

O projecto terá continuidade futura, tendo como objectivo criar uma plataforma digital como forma de empoderamento das pessoas com lesão vértebro-medular traumática, com recurso à participação de vários profissionais de saúde.

A sua participação é fundamental! Só conhecendo melhor a realidade se poderá contribuir de forma mais eficaz para melhorar a sua qualidade de vida.

Caso já tenha participado neste estudo por via do contacto dos centros de reabilitação de Alcoitão, Rovisco Pais, Centro de Reabilitação do Sul, ou outras instituições, não será necessário participar novamente.

Agradecemos desde já a sua disponibilidade e atenção.

Com os melhores cumprimentos,
Associação Salvador

Para esclarecimento de dúvidas por favor contactar:

Ana Teixeira e José Bruno Alves
Medicina de Saúde Pública, na Universidade de Santiago de Compostela
E-mail: pcjbta@gmail.com

Comentários

  1. Sofri acidente em março de 2010 com politrauma, fiquei paraplégica do estômago para baixo e ganhei uma osteomielite por consequência de infecção pós-operatória, evoluindo mais tarde para o quadril direito onde já perdi parte do fêmur. Hoje recebo antibiótico ertapenem diariamente para conter quadro infeccioso e não fui enquadrada em programa algum de reabilitação. Passo os dias na cama ou na cadeira quando tem alguém para fazer as transferências.
    Gisele Pecchio
    gisele.jorn@uol.com.br

    ler mais no meu blog em:

    www.gpecchio.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Quanta contrariedade Gisele! Sinto muito e desejo-lhe melhoras rápidas. Lamento que tenha todas essas dificuldades. Realmente depender da boa vontade dos outros não é fácil.
    Estive a ver seu blogue. Irei com calma le-lo melhor.
    Um abraço solidário

    ResponderEliminar

Enviar um comentário