Steve Jobs e a tecnologia acessível


Ontem (5/10), faleceu nos EUA, aos 56 anos o empresário Steve Jobs. Ele havia renunciado ao cargo de CEO da Apple no dia 24 de agosto. A informação foi confirmada pela Apple e pode ser vista acessando www.apple.com.

Entenda a trajetória do fundador da Apple

Steve Jobs fundou a Apple em 1 de abril de 1976, junto com Steve Wozniak e Ronald Wayne. Em 1985, foi afastado pelo conselho de diretores da empresa. No ano seguinte, criou outra empresa do ramo de tecnologia, a NeXT.

Em 1996, voltou à Apple após 11 anos de afastamento para salvar a empresa do buraco. Em 1998, Steve ajudou no desenvolvimento do primeiro iMac tudo-em-um da empresa. Aquele que foi vendido em diversas cores chamativas, e influenciou a “moda” dos gadgets da época.

De lá para cá, Steve foi figura determinante para o grande crescimento da empresa e participou ativamente da criação de grandes sucessos da Apple nos últimos anos, como iPod (2001), iTunes (2003), iPhone (2007) e o iPad (2010). Todos esses sucessos de venda fizeram com que a Apple se tornasse a maior empresa do mundo em capitalização de mercado, com US$ 339,4 bilhões em valor total de suas ações.

Problemas com a saúde

Em agosto de 2004, Steve Jobs se submeteu a uma cirurgia para retirada de tumor maligno no pâncreas, e de lá para cá, o empresário teve que se afastar duas vezes do cargo por licenças médicas, em 2009 e janeiro de 2011.

Devido a sua saúde já bem debilitada, no último dia 24 de agosto, Jobs renunciou ao cargo de CEO da Apple, para o vice Tim Cook assumir no seu lugar. Nenhuma notícia sobre seu estado de saúde chegou a ser transmitida no dia 4, durante o lançamento do iPhone 4S.

Stevie Wonder elogia a empresa Apple

Steve Wonder elogiou a empresa Apple por seus produtos com características marcantes de acessibilidade. Para o cantor, o recurso para usuários com deficiência da empresa é melhor que o de qualquer outra grande companhia do setor. Produtos como o iPhone 3GS, o iPod touch e o iPad já possuem recursos para pessoas com deficiências visuais. Um dos aplicativos criados pela Apple pode mudar a tonalidade da tela, útil para os que tem baixo grau de deficiência visual. Em outros, uma voz soletra o que está sendo digitado. Detalhe: esse aplicativo funciona em mais de 20 idiomas.

Algumas de suas criações

iPhone 3GS

A Apple apresentou o novo iPhone 3GS que, para além de outras inovações tecnológicas, apresenta características de acessibilidade que possibilitam o uso deste smartphone por pessoas com deficiência visual ou baixa visão.

Se a tecnologia touchscreen tem sido objeto de muitas criticas e preocupações por parte das associações de cegos de todo o mundo por potenciarem o risco de exclusão digital, a comunidade cientifica parece estar atenta à questão da inacessibilidade das telas sensíveis ao toque e começam a surgir soluções tecnológicas capazes de tornar os dispositivos touchscreen acessíveis para todos. Um dos exemplos mais marcantes da atualidade é o iPhone 3GS que a Apple apresentou recentemente.

iPad
Por ter uma tela sensível ao toque, você espera que usuários de tablets ou smartphones mais novos interajam com eles usando os olhos e as mãos. Quem tem algum tipo de deficiência visual, porém, ficaria impedido de usar esse tipo de gadget se não fossem pelas opções de acessibilidade que existem. As fabricantes de software já notaram a presença desse público e sabem que precisam implementar um suporte extra nos seus sistemas, por isso o Android, iOS e vários outros já têm isso de fábrica.

Ainda assim, eu imagino que seja meio difícil conceber como uma pessoa cega usaria um dispositivo touchscreen. O vídeo abaixo resolve essa dúvida. Nele você vai ver como um cego interage com um iPad usando as opções de acessibilidade que foram implementadas pela Apple no iOS. Você sabia, por exemplo, que existe um modo “cortina de tela”, que apaga a tela mas não a desativa?

Veja o video:


Fonte: Deficiente Ciente

Comentários