Tetraplégico encomenda sua morte


Um desfecho realmente inacreditável. Geraldo Rodrigues de Oliveira, 28 anos, assassinado a tiros na madrugada do último sábado, em Rio Claro (SP), não foi vítima de latrocínio (roubo seguido de morte).

De acordo com o delegado seccional da cidade, Roberto José Daher, o rapaz pediu para ser morto pelo próprio irmão, o tapeceiro R.R.O., de 22 anos.

Segundo a Polícia Civil, há cerca de 2 anos a vítima ficou tetraplégica depois de ter sido estimulada pelo próprio irmão a participar de um racha que terminou em fatídico acidente.

Desde então, Rodrigues passou a acusar o irmão pelo acidente, segundo a polícia. “Insatisfeito com sua atual condição, ele pressionava o irmão a matá-lo. Primeiro eles pensaram em envenenamento, mas depois decidiram simular o roubo, que na verdade nunca existiu”, completa a autoridade.

O fato foi confirmado pelo sobrinho da vítima, que estava na casa no Jardim Novo I, bairro da periferia de Rio Claro, na hora do crime. O tapeceiro está preso temporariamente, mas está em choque e por isso ainda não foi ouvido. “É uma situação delicada e nunca vivenciei nada parecido”, completa Daher.

Irmão acusado diz estar aliviado mesmo sabendo que ficará preso

O tapeceiro acusado de matar o tetraplégico contou aos investigadores que sabe que ficará preso pelo assassinato, mas agora está aliviado, porque acabou com o sofrimento do irmão. Geraldo tinha se casado antes do acidente e teve um filho, que infelizmente nasceu paraplégico. Após o acidente que o deixou tetraplégico, Geraldo caiu numa profunda depressão, pedindo inclusive que sua mulher o deixasse sozinho.

A vítima se queixava de que não aguentava mais ver a mulher ter que se desdobrar para cuidar dele e dos afazeres domésticos. A mulher deixou a casa. Ele mal conseguia movimentar o pescoço e recebia cuidados especiais do sobrinho e do irmão acusado de matá-lo. Geraldo ficou ainda mais depressivo depois da morte de outro irmão, que sofreu um acidente de trânsito em janeiro deste ano.

O tapeceiro disse que, diante da insistência do irmão, então resolveu matá-lo. Eles planejaram o ‘assalto’ e o tapeceiro partiu para o ataque. Para o delegado seccional Roberto José Daher, a versão dada logo no início da ocorrência apresentava falhas gritantes. “A história estava mal contada desde o começo e chamou a nossa atenção”, fala o seccional. A arma usada no crime foi comprada de um desconhecido e ainda não foi localizada.

Fonte: Jornal Cidade

Comentários

  1. Ei Dudu! Prazer enorme voltar aki e te reencontrar...Vc é mesmo aquele ser Uau-me.. Resolvi seguir sua sugestão e voltei a escrever de tudo um pouco, memórias, historinhas e "guiões"..Obrigada meu amigo...Talento guardado naum serve para muita coisa,seguirei seu exemplo.
    Em breve te enviarei algumas das minhas pérolas..pois aprendo sempre contigo.. sem trocadilhos... rsrsrs
    Deus te abençõe sempre... convivendo com vc a gente até se esquece dos presentes que nossos colonizadores, seus patrícios, deixaram em terras brasileiras.. é isso, o amor sempre sugere superações..
    Ah, gostei de algumas sandalinhas e sapatinhos que o seu patrocinador oferece... Vou presentear I-sol-da de Tristão com algumas...
    Beijos docinhos.. Aguardamos vc aki em
    Brasil... VEM!!!Rebecca MarizekallDeyv

    ResponderEliminar
  2. Rebecca, bom te-la de volta! Acostumei-me aos seus expressivos e diferentes comentários e se fica muito tempo sem aparecer estranho. Acostumou-me mal.
    Fique bem e envie-nos um pouco do vosso calor. Aqui frio outonal predomina.

    ResponderEliminar
  3. Pode ter certeza que o irmão do falecido não vai ficar tanto tempo preso, a não ser que estejam a levar em consideração alguma fraude processual.

    ResponderEliminar
  4. Como se tornou um processo muito mediático, tudo pode acontecer. E como dizia uma amiga: nunca se saberá a realidade dos fatos.
    Fique bem

    ResponderEliminar
  5. Olá Eduardo,
    Tudo bem?
    Me chamo Carol, estou pesquisando sobre esse caso para um trabalho. Não sou tetraplégica, e gostaria de saber um pouco mais.
    Será que você poderia me ajudar? Pesquisando apenas pela internet, inclusive pelo seu blog, pude ver que há um movimento muito grande pela luta das pessoas com deficiência. Gostaria de aprofundar o assunto.

    Muito obrigada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Carol.
      Estou bem, espero que você também.
      Pode contar-me pelo e-mail: tetraplegicos@gmail.com
      Fique bem

      Eliminar

Enviar um comentário