Carta ao INR-Instituto Nacional para a Reabilitação

Visto necessitar de uma informação com urgência e vossa resposta estar a demorar, resolvi contatar o vosso instituto através da linha direta. http://www.inr.pt/content/1/51/linha-directa na tentativa de obter uma resposta, mas do outro lado da linha surge-me a informação que ninguém me poderia atender, visto aquele serviço só funcionava de 3ª a 5ª Feira de cada semanam e no horário entre as 10 h e as 12 h30 e as 14 h e as 17 horas, e eu estava a ligar numa 6ª Feira. Em vão tentei explicar que somente precisava de uma informação com muita urgência, do outro lado da linha insistia que só nesses dias me poderiam atender, e que solução seria enviar outro email para o endereço inr@inr.msss.pt.
Decepcionante certificar-me que vosso Instituto continua a funcionar desta maneira. O que dizer de uma linha que se auto-intitula direta e só funciona 3 dias por semana e durante umas certas horas? Então para que existe? Como é possível nos dias de hoje em que maioria da informação se pode obter através das ditas linhas telefónicas diretas/verdes/azuis, no caso da deficiência isso não seja possível?

Devido a situações como esta sempre fui muito critico em relação ao vosso instituto e dei-vos conta várias vezes desse meu descontentamento, reportando-vos provas e exemplos concretos. Achava que grande parte do mal funcionamento se devia á anterior direção (Dra Alexandra Pimenta), mas com muita pena minha verifico que com esta nova direção nada mudou. Ou se mudou, pelo que depreendo, mudou ainda para pior.

Outro exemplo do péssimo serviço que o INR nos presta é insistirem a ignorar nossa presença nos seus debates/sessões de esclarecimento/colóquios/workshops, este Instituto descreve-se na sua página da internet: "A garantia de igualdade de oportunidades, o combate à discriminação e a valorização das pessoas com deficiência, numa perspectiva de promoção dos seus direitos fundamentais, são os princípios que norteiam a actuação do Instituto Nacional par a Reabilitação, IP". Como? Até agora dos vários pedidos que vos dirigi um sequer foi realizado. Falo por mim. E já vos denunciei graves casos de discriminação.

Voltando ao assunto, como é possível continuarem a ignorar as novas tecnologias meus senhores? Recebia alguns convites por parte do Dr Adalberto Fernandes, para estar presente nos vossos debates, sentia até uma ofensa, visto as minhas circunstâncias e do pais (falta de transportes acessíveis, reformas baixíssimas, isolamento, dependência...), e houve uma ocasião que respondi por escrito, e também por telefone, expondo minha decepção e propondo criarem-nos condições para estarmos presentes nos seus eventos, pagando-nos o transporte e ou através de videoconferência. Nunca mais me enviaram nenhum convite. Que ilações tirar sobre um Instituo que se assume como garante de igualdade de oportunidades se até uma simples sugestão de nos receber por videoconferência ignora? Como acreditar que senhores trabalham para nosso bem estar? O que vos impede de usarem as novas tecnologias? Maioria de nós comunica-se por essa via. Skype, msn, etc, são ferramentas fáceis de usar e principalmente meus senhores, não precisam de VERBAS para as usar.

Termino acrescentando mais uma vez a minha sugestão: tem que existir uma linha direta, mas que realmente seja atendida por especialistas e não alguém que única resposta que tem para nos dar é para enviarmos email. Sabem que muitos de nós nem essa capacidade temos.

Grato mais uma vez
Cumprimentos
Eduardo Jorge

Comentários

  1. OBRIGADO POR FAZERES DE MEU PORTA VOZ...
    EU ASSINO POR BAIXO.
    COM UM ABRAÇO
    ISA

    ResponderEliminar

Enviar um comentário