António Guilherme pede ajuda para nova cadeira de rodas elétrica

O pedido de auxílio surgiu através de cartazes afixados em vários espaços públicos da cidade, nos quais Tó Guilherme dá a cara com o claro propósito de conseguir a verba necessária que lhe permita substituir a velha cadeira de rodas, que apresenta problemas no motor e já não proporciona o conforto adequado aos seus problemas de saúde.

Desde há quase 20 anos que Tó Guilherme se encontra totalmente dependente de uma cadeira de rodas que lhe permite minimizar as limitações de mobilidade a que ficou sujeito, desde que ficou tetraplégico.

Conhecido da generalidade da comunidade oliveirense pela sua presença assídua no espaço público e devido ao facto de presidir à Associação de Deficientes de Oliveira do Hospital, Tó Guilherme apela agora à solidariedade de toda a população, para que o ajudem a superar um novo obstáculo.

Um pedido de ajuda que o próprio também já fez questão de dirigir à Câmara Municipal de Oliveira do Hospital. “Apelo à Câmara se me pode ajudar”, afirmou Tó Guilherme na última reunião pública da autarquia oliveirense, onde justificou a necessidade de uma nova cadeira com o desgaste da atual, que já utiliza há oito anos.

Segundo contou, o motor tem dado problemas e a cadeira deixou de assegurar o conforto de que necessita. “Tenho que andar com uma almofada nas costas e por isso ando sempre a transpirar”, explicou.

Em causa está a aquisição de uma cadeira de rodas no valor de 14.500 Euros. Para fazer face àquele custo, Tó Guilherme diz já contar com oito mil Euros que garante serem resultado da venda de rifas e da generosidade dos oliveirenses. “O povo tem sido solidário, tem-me ajudado muito”, comentou, solicitando o apoio da Câmara para conseguir a totalidade da verba em falta.

Fora de questão está a possibilidade de Tó Guilherme adquirir uma cadeira de rodas mais barata, já que – como referiu – a cadeira tem que ser ajustada às suas necessidades . “Não posso ter uma cadeira qualquer, porque infelizmente não me posso mexer”, frisou.

O pedido de auxílio não apanhou o executivo municipal de surpresa. “O processo está a ser analisado e não somos insensíveis ao problema”, afirmou o vice-presidente da Câmara e vereador da ação social, José Francisco Rolo, deixando clara a disponibilidade do município para apoiar a aquisição da cadeira tão necessária ao dia a dia de Tó Guilherme.

Comentários