Disreflexia autonoma

O presente trabalho trata-se de estudo retrospectivo realizado em 2009 que objetivou identificar diagnósticos e intervenções de enfermagem para o cuidado de pacientes com lesão medular (LM). Os dados foram coletados de 465 prontuários de pacientes com LM em processo de reabilitação. Identi?cou-se o diagnóstico de enfermagem Risco para disre?exia autonômica em 271 (58,3%) prontuários, dos quais 80 pacientes desenvolveram disre?exia autonômica.

Predominaram homens jovens, com idade média de 35,7 anos, sendo o trauma a principal causa da LM e o nível neurológico igual ou acima da sexta vértebra torácica. As intervenções de enfermagem foram organizadas em dois grupos, um voltado para a prevenção da disre?exia autonômica e outro, para seu tratamento.

Desenvolveu-se um guia de intervenções para uso na prática clínica de enfermeiros reabilitadores e para inserção em sistemas de informação. Ressalta-se a importância da retirada do estimulo causador da disre?exia autonômica como terapêutica mais e?caz e como melhor intervenção na prática de enfermagem.

Artigo completo em pdf Fonte: Ser Lesado




Comentários