Inovação, humanidade e cuidado ao serviço de peixe e pato com deficiência

Inovação, humanidade e cuidado são algumas das palavras que traduzem a atitude do dono do peixinho

Pode até parecer mentira ao falar que um peixe precisa de um “colete de salva-vidas” para poder nadar tranquilamente. Mas nesse caso, é a pura verdade.

Essa história é uma das singulares que vemos no dia a dia e que nos faz recuperar a fé na humanidade. Leighton Naylor tem um peixe de estimação chamado Einstein. Ele fez um colete salva-vidas para seu pet depois que ele desenvolveu uma doença que o impedia de nadar.
A doença do pobre Einstein fazia com que ele virasse de ponta-cabeça e afundasse em seu aquário, mas seu dono salvou sua vida. Usando alguns tubos reciclados, fez uma estrutura flutuante para que o peixe conseguisse manter-se imerso, mas sem afundar. É também pelos tubos que Einstein come, porque não consegue atingir a superfície para pegar a ração. 

Ave recebe uma prótese depois de amputar pata deformada

Um pato chamado ‘Buttercup', que nasceu com uma deformação na pata esquerda, o que sempre lhe causou dificuldades nos movimentos, acabou por ser amputado no centro veterinário de aves em Arlington, Tennessee, EUA.

O dono do animal, Mike Garey, um professor de informática, começou a procurar uma alternativa para ajudar a ave a superar as dificuldades de locomoção.

Foi ao contactar a Novacopy, uma empresa especializada em tecnologia 3D, que conseguiu encontrar uma solução. A empresa decidiu ajudar sem qualquer tipo de custos para o dono do animal e construiu uma prótese de silicone para a ave.

Atualmente o pato já tem a sua nova... pata de silicone e adaptou-se facilmente à sua nova forma de andar.

Fonte: CM

Comentários