De Abrantes a Lisboa – Protesto em cadeira de rodas

Eduardo Jorge, tetraplégico e autor do blogue “tetraplégicos” e ativista do movimento
“nos.tetraplégicos” na rede social Facebook, está de volta à luta. Dia 23 de setembro vai iniciar uma viagem de 180 km em cadeira de rodas entre Concavada, Abrantes, e o Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, em Lisboa. Um protesto contra a falta de legislação em torno da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, subscrita por Portugal em 2009, mas ainda por cumprir.

Recorde-se que no ano passado Eduardo Jorge realizou uma greve de fome junto à Assembleia da República, com o apoio do Movimento (d)Eficientes Indignados, para reclamar o direito a uma “vida Independente e digna” e para protestar contra a institucionalização compulsiva por parte do Estado de pessoas com deficiência, em lares de idosos, como única alternativa de vida.

A greve de fome foi suspensa após uma reunião com o secretário de Estado da Solidariedade e Segurança Social, Agostinho Branquinho que, segundo Eduardo Jorge, prometeu entre outras medidas, iniciar os trabalhos de redação de legislação sobre a Vida Independente no final de Janeiro, com a participação do movimento (d)Eficientes Indignados e demais representantes da comunidade de pessoas com deficiência.

Só que passados estes 8 meses, “pouco ou nada aconteceu até ao momento”, pelo Eduardo Jorge está de volta à luta.

No seu blog “tetraplégicos.blogspot.pt”, Eduardo Jorge deixou já “um resumo sobre o andamento dos preparativos da minha viagem, 180 km, entre Concavada e o Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, em Lisboa, com inicio no dia 23 de Setembro.

Assim, a saída de Concavada, dia 23 de Setembro, às 7h, sempre pela estrada nacional 118, passagem pelo Pego às 7h45, Rossio ao Sul do Tejo 8h15, Tramagal 9h, Santa Margarida da Coutada 10h15, Arrepiado 11h45, Carregueira 13h, Chamusca 15h, Vale de Cavalos 16h, Alpiarça 16h45 e Almeirim 17h30, onde irei pernoitar, em vigília, à frente do edifício da Câmara Municipal local.

Dia 24, saída às 8h de Almeirim pela estrada nacional 114, Benfica do Ribatejo 9h15, Casa Cadaval 10h, Salvaterra de Magos 11h30, Benavente pela EN 118 12h15, Samora Correia/Porto Alto 13h30, Vila Franca de Xira EN10 14h45, Alhandra 15h15, Sobralinho 15h45 e Alverca do Ribatejo16h, onde pernoitarei na Praça de São Pedro.

Dia 25 partida às 5h de Alverca do Ribatejo, Forte da Casa 7h30, Povoa de Santa Iria 7h45, e por último Praça de Londres 10h.

“Todas as autarquias das localidades referidas acima, foram convidadas a participar na iniciativa”, afirma Eduardo Jorge, adiantando que “até ao momento responderam positivamente a Junta de Freguesia do Tramagal, seu executivo aquando da minha passagem por aquela vila, vai estar presente no Largo dos Combatentes da Grande Guerra, no dia 23 de setembro, pelas 9 horas; Câmara Municipal da Chamusca, confirmou a presença da sr.ª vice-presidente da Câmara Municipal da Chamusca, Cláudia Moreira, na N118 no dia 23 de Setembro pelas 15h; Junta de Freguesia de Samora Correia, o executivo está disponível para receber e colaborar, e Junta de Freguesia de Alverca do Ribatejo e Sobralinho, totalmente disponíveis para colaborar. Irei pernoitar na Praça de São Pedro”.

Refere que está ainda “em conversações com as câmaras de Lisboa e de Almeirim, e ainda não obteve resposta das localidades de Pego, Rossio ao Sul do Tejo, Santa Margarida da Coutada, Arrepiado, Carregueira, Vale de Cavalos, Alpiarça, Benfica do Ribatejo, Salvaterra de Magos, Benavente, Vila Franca de Xira, Alhandra, Forte da Casa e Povoa de Santa Iria”.

Conta de4sde já com os apoios do Movimento (d)Eficientes Indignados; ASCD os Trovões; – Mithós Associação Apoio Multideficiência e UDF-União Deficiente Fórum. Manuel Feijão disponibiliza gratuitamente uma carrinha, com motorista, e um veículo menor para me prestarem apoio; o presidente da ASCD os Trovões põe também à minha disposição o seu veículo pessoal, e disponibiliza-se para me apoiar durante os dias 24 e 25 e Mithós, vai acompanhar-me durante todo o trajeto realizado dentro do concelho de Vila Franca de Xira”.

Ainda precisa de…

Eduardo Jorge afirma que ainda necessita de uma cama articulada com colchão, local para tomar banho, alguém para me virar durante a noite, vestir, dar banho, higiene, carregar baterias da cadeira de rodas, levantar e deitar, apoiar na alimentação, etc., motorista para conduzir um dos veículos, internet móvel para permitir relatar a viagem, e alguém que o faça”.

Adianta que aDivisão de Trânsito e Segurança Rodoviária-Comando Operacional da GNR, em resposta ao seu email, “informamos que na realidade não necessita de qualquer procedimento legal prévio para realizar a viagem indicada. Aproveitamos para lhe desejar os melhores sucessos no evento que se propõe realizar”.

Já a Estradas de Portugal-Direção de Operações de Rede, respondeu: “Vimos agradecer os esclarecimentos prestados, pelo que a pretensão aqui expressa irá ser analisada pelos serviços internos da EP, S.A. Adicionalmente informa-se que, a taxa a pagar será em função do impacto que esta iniciativa terá para a circulação do tráfego nas vias sob jurisdição desta empresa, mas a existir nunca num valor superior a 20 €”.

Fonte: O Ribatejo

Comentários