Razão do protesto 180 km em cadeira de rodas pelo direito a uma vida digna

A 7 de Outubro do ano passado o Sr. Secretario de Estado da Solidariedade e Segurança Social, Agostinho Branquinho, confrontado com a anunciada greve de fome pelo direito a uma vida independente, protagonizada por Eduardo Jorge, tetraplégico, fez promessas e assumiu um compromisso com Eduardo Jorge e o movimento (d)Eficientes Indignados.

Foi acordado nessa altura:
1. Abrir um endereço de e-mail para receber contributos sobre o que seria necessário para proporcionar uma Vida Independente às pessoas com deficiência.
2. Fornecerem-nos um dossier com esses contributos no início de Janeiro
3. Iniciar os trabalhos de redacção de legislação sobre a Vida Independente no final de Janeiro com a participação do movimento (d)Eficientes Indignados e demais representantes da comunidade de pessoas com deficiência.

Pensávamos lidar com gente de palavra, mas enganámo-nos. Em Janeiro nada se passou.

Só em Fevereiro, e a nosso pedido, se realizou uma reunião em que constatámos que nada havia sido feito para além da intenção de abrir ,em parceria com a União das Misericórdias e o IEFP, cursos de formação de supostos assistentes pessoais. Nenhum passo tinha sido dado na garantia de acesso à assistência pessoal por parte das pessoas com deficiência.

Nessa reunião, realizada a 27 de Fevereiro, foi-nos garantido por elementos do Gabinete do Sr. Secretario de Estado que seriam respeitados alguns princípios sobre a Vida Independente que são fundamentais para nós: 

1. Que um projecto piloto de Vida Independente será concebido com a participação das pessoas com deficiência
2. Haverá pagamentos directos à pessoa com deficiência que contratará com essa verba o seu assistente pessoal.
3. A pessoa com deficiência terá liberdade de escolha do seu assistente.
4. A formação dos Assistentes será assegurada pela pessoa com deficiência se essa for a sua escolha.

Passado quase um ano das promessas iniciais do Sr. Secretario de Estado nada foi feito.

Em sinal de protesto e no sentido de sensibilizar a população em geral para a necessidade de uma politica que fomente a independência e autonomia das pessoas com deficiência, Eduardo Jorge, com o apoio do Movimento (d)Eficientes Indignados, sai novamente à rua.

Pondo em risco a sua saúde, dada a sua condição física, Eduardo Jorge irá, na sua cadeira de rodas, fazer um percurso de 180 km, da sua residência em Concavada (Abrantes) até ao Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social onde entregará uma Carta Aberta ao Sr. Secretario de Estado.

No dia 25 às 12,30h, estaremos à sua espera na Praça de Alvalade, fazendo a parte final do percurso em conjunto até à Praça de Londres.

CONCAVADA A LISBOA - 180 KM PELO DIREITO A UMA VIDA INDEPENDENTE

23, 24 e 25 de Setembro

Através das estradas nacionais 118, 114 e 10, pelo seguinte itinerário:

Dia 23
7H00 - saída de Concavada, Abrantes, sempre pela estrada nacional 118
7H45 - Pego
8H15 - Rossio ao Sul do Tejo
9h00 - Tramagal
10h15 - Santa Margarida da Coutada
11h45 - Arrepiado
13h00 - Carregueira
15H00 - Chamusca
16h00 - Vale de Cavalos
16h45 - Alpiarça
17H30 - Almeirim pernoita em vigília à frente do edifício da Câmara Municipal local.

Dia 24
8H00 - saída de Almeirim pela estrada nacional 114
9H15 - Benfica do Ribatejo
10H15 - Casa Cadaval
12H00 - Salvaterra de Magos
13H00 - Benavente pela EN 118
14H30 - Samora Correia/Porto Alto
15H30 - Vila Franca de Xira EN10
16H00 - Alhandra
16H30 - Sobralinho
17H00 - Alverca do Ribatejo pernoita na Praça de São Pedro

Dia 25
8h00 - Alverca do Ribatejo
8H45 - Forte da Casa
9H00 - Póvoa de Santa Iria
10H00 - Sacavém
10H30 - Moscavide
11H30 - Rotunda do Aeroporto/Relógio
12H30 - Praça de Alvalade
13H00 - Lisboa, Praça de Londres

NOTA - Actualização em 20 Setembro 2014
O horário poderá sofrer algumas alterações devido a qualquer imprevisto

Fonte: Movimento (d)Eficientes Indignados

Comentários