Centro de Saúde de Fazendas de Almeirim deixou doente em cadeira de rodas sem transporte para hospital

Um utente do Centro de Saúde de Fazendas de Almeirim, que se desloca em cadeira de rodas e recebe uma reforma por invalidez de 330 euros, ficou sem apoio ao transporte para tratamentos num hospital de Lisboa porque o médico não assinou a guia. João Manuel Marques só conseguiu ir à consulta no Hospital de Santana, onde foi operado a um pé, porque houve um benemérito que lhe arranjou transporte gratuito de ambulância. O doente tinha previsto para esta quinta-feira outra deslocação ao hospital mas, já depois de O MIRANTE ter contactado o Agrupamento de Centros de Saúde, João recebeu um telefonema a informá-lo que lhe tinha sido concedido transporte.

João Manuel Marques, 38 anos, que sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) há três anos, já tinha ficado da outra vez sem transporte para regressar a casa após uma cirurgia e foi um irmão que pagou cerca de 50 euros de transporte na ambulância da Junta de Freguesia de Fazendas de Almeirim. João desloca-se em cadeira de rodas porque devido ao AVC não consegue equilibrar-se em pé.

Trabalhava a assentar pedras em chão e fachadas e chegou a ganhar mais de 1500 euros quando trabalhou em Espanha. Agora vive com um irmão, que também está reformado por invalidez e faz hemodiálise três vezes por semana, numa casa do bairro Ancofa, em Fazendas de Almeirim, concelho de Almeirim. João, que frequenta o centro de dia de Fazendas, conta que o dinheiro que ganha é para os medicamentos, comprar alguma comida e ajudar nas despesas da casa. E por isso não compreende por que motivo o médico do centro de saúde lhe recusou o transporte por conta do Ministério da Saúde.

João sofreu o AVC quando se deslocava para casa e estava perto da habitação. Seguia de mota e despistou-se tendo embatido contra um poste de electricidade. A doença deixou-lhe sequelas no pé a que foi operado e agora aguarda que esta situação se resolva para poder iniciar tratamentos para recuperar das dificuldades de locomoção no Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão.

Fonte: O Mirante

Comentários