CNOD repudia despedimentos de trabalhadores com deficiência na Segurança Social

A Confederação Nacional dos Organismos de Deficientes (CNOD) repudia o anúncio de despedimento de cerca de quase mil trabalhadores da Segurança Social, entre os quais estão muitos funcionários com deficiência. Esta decisão do governo é absolutamente inqualificável e constitui um gravíssimo ataque não só contra estas pessoas mas também contra o próprio sistema público de Segurança Social.

A CNOD, constituída por 38 associações de pessoas com deficiência, membro do Conselho Económico e Social (CES) e membro do Fórum Europeu da Deficiência (FED), está solidária com a justa e necessária luta dos trabalhadores com deficiência. São afectados por uma decisão com graves implicações na vida de todos os funcionários nessa situação mas que agrava ainda mais as condições de uma camada da população com particularidades que a torna mais vulnerável.

Um governo que é capaz de tomar tal decisão é um governo que não tem as preocupações sociais como prioridade. As importantes dificuldades em que se encontram os serviços da Segurança Social são resultado do sucessivo desinvestimento em recursos materiais e humanos. Esta decisão é mais uma machadada na Segurança Social, em que se apoiam as vidas de milhares de portugueses com deficiência.

Recordamos que realizámos o 22º Encontro Nacional de Deficientes em que mais de 200 participantes aprovaram reivindicações que incluiam o reforço da intervenção do sistema público da Segurança Social e a redução do elevado desemprego entre as pessoas com deficiência. Recordamos também que vivemos tempos sombrios em que a intervenção da Troika e as políticas governamentais lançaram milhares para a pobreza.

Presidente da Direcção Executiva da CNOD

Enviado por email

Comentários