Escaras: Novidades das minhas meninas

Atualizações no final da página...

(17/1) Primeiro surgem-me suores sem parar, depois reabre a ferida no ísquio e aparece uma nova no pé esquerdo, por último uma gripe. Nada que um tetraplégico não conheça, mas surgir tudo ao mesmo tempo é muito azar. Foi o que me aconteceu. A gripe esteve como mostra o vídeo abaixo, mas o mucosolvan perlonguets em cápsulas, anti-inflamatório e antibiótico, felizmente já ajudaram a resolver.

A ferida do pé iniciou assim...

…uns dias depois complicou-se e surgiu necrose, após 8 dias de tratamento com hidrogel, daflon 500 e antibiótico melhorou um pouco.
A persistente do rabiosque está quase resolvida, problema é que no dia do banho volta sempre a sair a crosta protetora, o que tem complicado e muito.

Nisto tudo, o pior é não poder ir trabalhar e suportar os monótonos dias passados na cama. Por indicação médica tenho estado de cama. Assim evito a pressão nas feridas o que facilita a cicatrização. Meus dias baseiam-se em ficar deitado em decúbito lateral esquerdo durante a manhã, tarde toda em decúbito ventral, noite outra vez do lado esquerdo e dormir de ventral, e assim sucessivamente.

 Semana que vem vou iniciar levantos para a cadeira de rodas, mas sempre com o suporte de pé na horizontal para evitar pressão no  pé e verificar a reação, e próxima terça feira vou ver o que me diz a médica em Alcoitão.


Nova ida ao médico

Ontem, dia 21/1, mais uma ida à médica em Alcoitão. Visto as melhoras serem pouco significativas, vou iniciar novos tratamentos. Ferida do pé passa do hidrogel para ulcerase e a do isquio passa a ser tratada só com betadine em penso. Receitaram-me também novo antibiótico (ciprofloxacina) e claro, continuar na cama.

Mas nem tudo são más notícias, os incómodos suores que surgiam sempre que me levantava para a cadeira, ontem desapareceram. Espero que de vez.

Situação em 19 de Fevereiro

Isto não tem estado fácil. A fase menos boa continua. Depois de várias idas ao CMR Alcoitão e outros tantos tratamentos a ferida do rabiosque continua a dar muito trabalho o que me obrigou a ficar mais uns dias de cama, já a ferida do pé está a melhorar.

Os suores também voltaram em força. Desta vez somente no lado esquerdo, mas o suficiente para encharcar a roupa. Até agora não conseguimos saber o porquê.

              Em 18 de Abril situação é esta...

A ferida do pé foi vencida. Vejam imagem abaixo


Já a do rabo, não há maneira de me dar sossego. Continua o abre e fecha, melhora e piora...já experimentamos todo o tipo de tratamento, mas insiste em não cicatrizar de vez. Como podem verificar na imagem abaixo, a ferida está localizada numa área intervencionada anos atrás. Talvez esse facto esteja a dificultar as melhoras.

Nem a utilização de uma nova almofada antiescaras me está a valer...


Os suores no lado esquerdo do tronco continuam. Tem sido muito difícil suporta-los. Ficamos sem saber se a sua origem advém desta ferida ou de algum problema na coluna.

Em 6 de julho de 2015

A última vez que vos dei notícias sobre os problemas de saúde que ultimamente me têm acontecido, foi no dia 18/4. Hoje, dia 6/7, deixo-vos uma nova atualização:

Suores excessivos, no lado esquerdo da cabeça, e somente na posição de sentado persistem, felizmente estamos no verão, o que faz com que pelo menos não sofra tanto com o frio. Mas desagradável continua a ser.
Ferida no esquio continua o abrir e fechar. Neste momento estou na fase má. Ontem iniciei heleoterapia, (exposição da ferida ao sol) uma vez por dia, durante 20 minutos, entre as 9 e 10 da manhã, segundo os especialistas durante o verão a melhor altura do dia para o fazer.
Além disso, continuamos a limpar a ferida com soro fisiológico, e de seguida aplicar o hidrogel, numa fase mais avançada substitui-se o hidrogel por uns centímetros de placa de betadine.

Também estou a ser seguido por um neurocirurgião. Sobre o quisto na coluna (AQUI)  é contra a intervenção cirúrgica para o remover. No que toca aos suores e não cicatrização da escara, está a realizar alguns despistes na tentativa de poder saber a sua origem. Último procedimento foi realização de uma zaragatoa (recolha de material na ferida para análise).
Os resultados da primeira recolha das análises acusaram infeção através da bactéria “proteus”. Fui medicado a antibiótico durante 24 dias. Não resultou. Após novas análises verificou-se que era resistente ao antibiótico que tomei durante esse tempo, e o “proteus” continuava a habitar na ferida todo feliz.
Receitou-me novo antibiótico durante mais 24 dias. Termino-o hoje. Mas melhoras não existiram.

No que toca ao cistocateter (AQUI) consegui uma excelente equipa, no hospital de Abrantes, que me acolheram e o substituem de uma maneira nada evasiva. Além disso estão disponíveis para me socorrer caso surjam problemas imprevistos.

Optaram por substituir o cistocater de silicone que sempre utilizei, por uma sonda normal cuja substituição acontecerá mensalmente. Com essas alterações as dores e mal estar que acontecia ao posicionar-me na posição de decúbito ventral melhoraram significativamente. Realmente a outra sonda é muito mais dura e agressiva. Por ser um ato médico estava a ser complicado encontrar um local onde me realizassem a substituição do cistocateter, pelo menos esse assunto ficou resolvido.


Em 19 de Setembro de 2015

Pela primeira vez encontro-me há mais de um mês com a ferida fechada e sem suores. Neste momento já consigo ficar 8 horas diárias na cadeira de rodas sem afectar o local. 

Única alteração que existiu foi deixar de utilizar o Body Support: 
https://www.youtube.com/watch?v=Asbz9LJrx9I  nas transferências, e começar a utilizar uma cesta idêntica à da imagem abaixo, adquirida na Foxi  novo representante da grua HandiMove.

O sistema Body Support esticava muito a pele afetada. Supomos que tenha sido uma das razões para ferida abrir constantemente. 

Também alterei a terapêutica, passei a utilizar pensos Aquacel de hidrofibras com prata iónica. Se foi coincidência ou resultado das alterações, a dúvida vai continuar. O certo é que desde Dezembro de 2014, que nunca estive tanto tempo com ferida fechada.

Suores também desapareceram na mesma altura que cicatrizou. Tem sido um sossego tremendo. Estava a ficar desesperado. Quero crer que é desta que me livro destes dois problemas.

Comentários

  1. Você já ouviu falar no Curativo a Vácuo ou Oxigênioterapia ?. São excelentes para a cicatrização de escaras.

    ResponderEliminar
  2. Amigo,
    não tenho palavras para descrever tamanho sofrimento, porque também tive a minha cota parte bem à pouco tempo, mas graças a Deus estou bem melhor, e espero que assim continue.

    Só desejo as tuas melhoras e esperança que terás melhores dias.

    Aquele abraço.

    ResponderEliminar
  3. è preciso um espirito muito forte para superar todas essas provas...parabéns, é um estímulo para os outros se aguentarem também.


    ResponderEliminar
  4. Continua com força os tratamentos... pode ser que agora com a nova medicação seja de vez! O ulcerase é uma pomada fantástica... pode ser que resulte finalmente! Um abraço e as melhoras rápidas

    ResponderEliminar
  5. Meu amigo boa tarde! A minha sogra tem alzhaymer, e apareceu ferida pequena na região do anus, após varias tentativas, e curativos ela só melhorou quando eu cortei um círculo na espuma onde ela senta, não fazendo pressão na regiao.
    curou. apos 40 dias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ao contrário de quem sofre de alzheimer, nós lesados medulares, por falta de sensibilidade não convém utilizar esse método, faz com que a circulação sanguínea não se realize naquela região do corpo.

      Eliminar

Enviar um comentário