Cidadão com deficiência espera há 4 anos para ter direito a estacionamento

O Bloco de Esquerda teve conhecimento de que a Câmara Municipal está desde 2011 para reservar um lugar de estacionamento destinado a pessoas com deficiência na Rua Dr. Crispim Borges de Castro e até agora nada foi feito.

O lugar foi pedido por um munícipe, deficiente motor, que necessitava de um lugar de estacionamento junto da sua casa (neste local existem vários lugares de estacionamento, mas quase sempre ocupados, uma vez que nenhum deles está reservado para pessoas com deficiência).

Depois do pedido feito, a Câmara Municipal analisou-o e decidiu deferir o mesmo. No entanto, nada aconteceu no concreto porque a Câmara alegou estar à espera da placa de sinalização vertical.

O ridículo da situação é que a Câmara continua a alegar o mesmo, passado 4 anos. Ou seja, há 4 anos que naquele local não existe um estacionamento destinado a pessoas com deficiência porque a Câmara continua sem lá colocar a sinalização.

O mesmo munícipe, perante tanto impasse e tanta demora, decidiu dirigir-se ao provedor da mobilidade que, mais de um mês depois, respondeu dizendo que “no local em questão será sinalizado um local de estacionamento para veículos identificados com o cartão de estacionamento para pessoas com deficiência condicionadas na sua mobilidade, assim que o material necessário esteja disponível”. Ou seja, o provedor deu a mesma resposta que a Câmara tem dado como desculpa para nada fazer. E tudo continua na mesma.

Como se percebe, o que está em causa é bem mais do que um lugar de estacionamento para pessoas com mobilidade condicionada. O que está em causa é também a forma como a Câmara Municipal trata de forma negligente os cidadãos com mobilidade reduzida.

Para o BE, não há justificação nenhuma para que um problema tão simples se arrasta eternamente. Se o problema não é de difícil resolução, já a manutenção do problema dificulta, e muito, a vida deste munícipe.

A Câmara Municipal anunciou há relativamente pouco tempo a criação da provedoria municipal para a mobilidade. No entanto, não vemos mudança na prática da Câmara nem na defesa dos munícipes com dificuldades de mobilidade.

Se não há mudanças efetivas, então o anúncio não passou de propaganda. Mas como bem sabemos, é preciso haver muitas mudanças efetivas e reais no concelho, principalmente no que toca a acessibilidades a pessoas com mobilidade reduzida.

O Bloco de Esquerda exige uma solução rápida para este problema tendo já questionado a Câmara Municipal

Fonte: esquerda.net.

Comentários