“Somos todos deficientes”. Histórias de meninos especiais para todos

“Todos somos deficientes”. A frase é de Rita Ferro, que diz não querer chocar ninguém, até porque há uma explicação para tal afirmação. “O meu pai era deficiente em matemática, eu sou deficiente a preencher um impresso de finanças, há pessoas que não conseguem jamais aprender uma língua estrangeira ou mudar um pneu, ou, noutro plano, amar ou perdoar. Todos somos meninos especiais.”


A vida de Rita Ferro é escrever e foi ela a responsável por pôr em palavras a história de Miguel, um menino com síndrome de Morsier. O resultado faz parte da 3ª coleção “Meninos Especiais”, um projeto da associação Pais-em-Rede, que promove a inclusão social das pessoas com deficiência e das respetivas famílias.

Cada livro conta a história de uma criança que sofre de uma síndrome. Miguel tem Síndrome de Morsier, a Matilde tem síndrome de Pitt-Hopkins e o Eduardo tem Síndrome de Asperger. Os autores dos livros conviveram com o Miguel, com a Matilde, com o Eduardo e com as respetivas famílias. Absorveram a realidade e depois passaram à ficção.

Comentários