Dor neuropática no lesado medular

Fala galera lesada, bom essa é uma pergunta que muitos me fazem, sim sinto muitas dores, já foi muito pior, muita sensibilidade nas mãos, consegui diminuí-la dessensibilizando com estímulos em diferentes texturas (bola de massagem, velcro, madeira, fisioball, tecidos, etc.).

No primeiro ano de lesão sentia nas duas mãos, uma queimação, pontadas e não conseguia tocar em nada com os polegares, muita, muita sensibilidade, o que ainda hoje tenho na mão esquerda (região do polegar e punho), a direita sumiu não sei explicar como, mas só agradeço, é algo definitivamente chato, e se você meu caro lesado nunca teve, agradeça.

Tomei muitos remédios como carbamazepina, gabapentina, tylex, até fórmulas caríssimas de 250,00 reais, mas todos são apenas paliativos, ou seja, não curam, apenas aliviam os sintomas, e foi assim que esse ano decidi me ver livre, meu rim, fígado e bolso agradecem.

Convivo com a dor todos os dias, tento aliviar com massageador elétrico e munhequeiras que dão estabilidade ao punho, imobilização ao dedo polegar e compressão multidirecional reduzindo a dor. Quem convive conosco já sabe que tem que dar aquela velha massagem, seja em casa, na rua, no restaurante etc.

Além da hipersensibilidade ao tacto, e o acúmulo de “ites” acrescento dores intensas de cabeça, dores na coluna, dores com espasmos, estresse do dia a dia (e as mudanças de humor), aí não tem jeito, aspirina, ibuprofeno, tylex pra dentro (ou álcool).

Sugiro ainda a todos que procurem alternativas (todas comprovadas) como a acunpuntura, eletrodos, compressão, gelo, kinesioterapia, alogamento, massagens, infravermelho, exercícios, e abandonem os remédios, procure seu fisioterapeeuta/terapeuta ocupacional e veja o que melhor se encaixa para o seu caso e suas especificidades, no fim do post separei mais algumas dicas, depois nos contem os resultados.

Comentários