Ofélia Marques e a filha deficiente já vivem na nova casa em Pernes

Depois de algumas promessas, Ofélia Marques, a mulher de Vaqueiros que tinha que andar dez quilómetros pela Estrada Nacional 3 a empurrar a cadeira de rodas da filha deficiente sempre que tinha que a levar ao médico até Pernes, já está a viver na sua nova casa nesta vila desde Setembro com a filha Patrícia. A habitação, situada à entrada de Pernes, concelho de Santarém, tem dois quartos, casa-de-banho, cozinha, uma sala ampla e um pequeno quintal, onde estende a roupa.

Ofélia Marques, 53 anos, está satisfeita por ter uma casa nova onde pode viver com a sua filha. “Agradeço à Santa Casa da Misericórdia de Pernes pelo apoio que me está a dar porque foram eles que me pintaram a casa, fizeram uma rampa na entrada e deram tudo o que tenho. Gosto muito do senhor provedor, é um grande homem e oxalá continue no cargo porque está a fazer uma grande obra”, afirma a O MIRANTE na sala de sua casa.

É à Misericórdia de Pernes que Ofélia vai de segunda a sexta-feira buscar comida da cantina social para as suas refeições. Ao fim-de-semana são os funcionários da instituição que levam a comida a sua casa para não ter que se deslocar com Patrícia em cadeira de rodas. A casa tem todos os electrodomésticos necessários, faltando apenas o acesso à televisão.

Junto ao televisor, na sala, está uma pequena árvore de Natal, colocada em cima de uma cadeira. A quadra natalícia vai ser passada em casa junto com a sua filha. Ofélia Marques garante que a sua filha está feliz e que se adaptou bem ao Centro de Recuperação Infantil Torrejano (CRIT). Ofélia lamenta não ter um trabalho, apesar de estar inscrita no Centro de Emprego.

Apesar de saber que agora está numa casa melhor, Ofélia Marques não esquece a sua antiga residência em Vaqueiros, onde viveu muitos anos. “Tenho saudades da outra casa. É lá que tenho as minhas memórias, foi ali que sempre vivi, mas sei que não tem condições nem para mim nem para a minha filha”, reconhece. Quando Patrícia está em casa vai com ela ao café e à loja porque é algo que a filha gosta de fazer.

Ofélia tem o hábito de adormecer ao lado da filha durante a noite porque Patrícia não está habituada a dormir longe da mãe. Na nova casa, Patrícia fez um novo amigo, Rodrigo, 22 anos, também ele portador de deficiência. A amizade é tão grande que o jovem ganhou o hábito de ir buscar Patrícia à carrinha do CRIT sempre que chega à porta de casa. “Gosto muito do Rodrigo e ele e a Patrícia são muito amigos. O Rodrigo diz que vai casar com a Patrícia e que vão ter mil convidados no casamento”, conta Ofélia com um sorriso acrescentando que Rodrigo também espera uma vaga para ir passar os dias numa instituição.

Mãe empurrava filha em cadeira de rodas pela EN 3

O caso desta mãe e da filha de 33 anos com paralisia cerebral foi notícia o ano passado em O MIRANTE. Devido ao encerramento do posto médico de Vaqueiros, localidade onde residia, e à falta de meios para pagar o transporte da filha que está numa cadeira de rodas, a senhora empurrava a cadeira de rodas pela Estrada Nacional 3 a fim de se deslocar ao Centro de Saúde de Pernes, a 5 km da sua antiga casa.

A primeira solução veio por parte da Misericórdia de Pernes que disponibilizou uma das vivendas que tinha vagas, onde ficaram até Setembro deste ano, altura em que se mudaram para a nova casa de habitação social disponibilizada pela Câmara de Santarém.

“Por vezes, sentia que já estava a incomodar na Misericórdia porque sei que eles precisam da casa onde eu estava com a minha filha para avançarem com o projecto de infantário. Estou satisfeita porque agora tenho o meu cantinho e da minha filha”, afirma. Patrícia tem frequentado o Centro de Reabilitação e Integração Torrejano (CRIT) e tem mostrado alguma evolução na sua condição.

Depois do caso ter sido tornado público, a Segurança Social, em conjunto com a Câmara de Santarém, ofereceram um conjunto de soluções a Ofélia nomeadamente uma casa de habitação social e transporte para as consultas necessárias.

Fonte: O Mirante

Comentários