Desfile de moda inclusivo em Guimarães

O Moda Guimarães Primavera Verão 2016 começa com o pé direito ao promover desde a 1.ª edição um desfile inclusivo inédito no Museu Alberto Sampaio, localizado no centro histórico vimaranense. A noite de glamour é já a 19 de março, a partir das 21 horas. 

A equipa composta pela agência de modelos All Management e profissionais da área, convidou o estilista vimaranense, Rafael Freitas, para padrinho desta iniciativa e o envolvimento do designer é importante naquilo que a organização aponta como sendo “o momento alto da noite”. Estamos a falar do desfile dos clientes da Cercigui com roupas feitas e manufaturas na instituição.

A abertura do desfile dos utentes da instituição é realizada pela impulsionadora desta vertente inclusiva do Moda Guimarães: Sara Coutinho, uma vimaranense com paraplegia apaixonada pela moda. “Vi no Facebook o evento e decidi enviar um email a dizer que achava interessante fazer um apontamento de moda inclusiva. Eles gostaram da ideia, ligaram-me no dia a seguir e convidaram-me para participar”.

Não é propriamente uma estreia nas passerelles, nem dos desfiles de Rafael Freitas. Já em 2010 Sara Coutinho tinha desfilado para o estilista e agora vai apresentar novos modelos adaptados para utilizar em cadeira de rodas.

O presidente da Cercigui considera que esta é “uma moda verdadeiramente inclusiva” e diz que tanto os clientes que vão desfilar como os que vão manufaturar as peças “estão vaidosos e super motivados”. “Este evento é mais uma maneira de divulgarmos à comunidade vimaranense as capacidades dos nossos jovens e mostrar que essas pessoas também fazem parte da comunidade e que também podem desfilar”, conclui Rui Leite.

Este evento é realizado com o intuito de apresentar os trabalhos dos alunos do curso de Design de Moda da Cenatex e da licenciatura de Design e Marketing de Moda da Universidade do Minho.

Fonte: Plural&Singular 

Comentários