Alunos com deficiência impedidos de ir à escola

O caso, esta quinta-feira noticiado pelo CM, de Flávio Angélico, de 5 anos, criança com multideficiência que está impedida de ir à escola, na Moita, por falta de um auxiliar, está longe de ser exemplo único.

Dezenas de alunos com deficiência continuam em casa mais de uma semana após o arranque das aulas, devido à falta de funcionários para os apoiar ou acesso a transporte escolar. "As escolas iniciaram o ano letivo com um número muito reduzido de assistentes operacionais e não conseguem ter elementos para apoiar os casos que precisam de apoio permanente", afirmou ao CM Ana Simões, responsável da Fenprof pela Educação Especial. 

A estrutura sindical anunciou para hoje uma conferência de imprensa onde vai denunciar diversos casos de incumprimento da lei. Um deles é o de um agrupamento na Grande Lisboa onde mais de meia centena de alunos com deficiência está impedida de frequentar a escola. A falta de transporte escolar está também a afetar alunos que frequentam escolas com unidades especializadas.

 A Fenprof denuncia pelo menos dois casos no concelho da Amadora. Nas situações em que os alunos frequentam unidades fora da área de residência, o Estado tem de pagar transporte.

Fonte: CM

Comentários