A queda do deputado Jorge Falcato na Assembleia da República e não só

O deputado Jorge Falcato sofreu uma aparatosa queda da plataforma que o transportava ao púlpito, na Assembleia da República, quando se  preparava para abrir um debate de interpelação ao Governo convocado pelo Bloco de Esquerda sobre políticas para a deficiência.


Aconteceu no último dia 7/10, e a referida desconfortável queda foi noticia nacional. Encontrava-me na altura na Assembleia da República, a alguns bons metros de distância e ao encontrarmo-nos umas horas depois a seguir ao seu discurso, chega como se nada tivesse acontecido. Ele é assim.

Porque naquele dia não aconteceu somente a sua queda, deixo um resumo do que se passou no debate:



“A deficiência não é uma questão médica, de caridade ou assistencialismo. É sim de direitos humanos

Intervenção ministro Vieira da Silva 

Intervenção da Srª Secretária de Estado Ana Sofia Antunes.

- 1ª parte
- 2ª parte

Gostei das palavras do presidente da Assembleia da República em exercício no momento, Jorge Lacão, que assinalou aquele momento, não o da queda, mas sim o acesso á tribuna, como "do maior relevo para o Parlamento".

E continuou... "Com o exemplo da superação da barreira arquitetónica que agora acabou de ter lugar possa servir de exemplo para as demais entidades públicas do nosso país e no domínio das entidades privadas, que todos possamos concorrer para o pleno exercício de direitos", afirmou.

 Terminou: "Bem haja senhor deputado Jorge Falcato, o seu exemplo, a sua determinação e obstinação são um exemplo para todos os deputados desta casa", sendo interrompido por aplausos da câmara.

Agora as noticias da queda em sugestivos titulos...

Jornal Público (com vídeo)

SIC Noticias (com video)

Rádio Renascença

Correio da Manhã (com vídeo e sequência fotográfica da queda)

TVI24

Jornal de Noticias

Expresso (com vídeo)

RTP (com vídeo)

Queda e momento histórico dividem o titulo...

Visão (com vídeo)

Boa DN!

Correio da Manhã (com vídeo)
Queda revela falhas na Assembleia

Imagina se não tivesse funcionado...

Jornal de Negócios

Á 2ª a RTP acertou no titulo
RTP

Pede-se explicações
CMTV

Afinal com queda ou sem queda, o importante é que não se magoou, (o que duvido) e conseguiu os seus objetivos. Discursar e transformar a AR num lugar mais acessível e de todos. E como diz o outro, falem disto ou daquilo, mas falem.

Quanto a mim, no que toca à queda a plataforma não reúne condições de segurança, tudo bem que houve a falha humana não travando a cadeira de rodas, mas em sistemas de elevação idênticos e utilizados por todos nós cadeirantes no dia-a-dia, sabemos que caso haja falha da nossa parte temos uma proteção de alguns centímetros de elevação na frente da platafrma e também barras laterais que nos protegem em caso de falha.

Não podia deixar de agradecer ao nosso deputado ter conseguido que o partido que representa tenha aceite levar o tema deficiência a debate. Desde que me sinto ativista, foi a 1ª vez que fui àquela nossa casa, com orgulho e prazer. 

Mais orgulho ainda foi vê-lo a tomar conta do lugar que é seu por direito. Para o momento ser perfeito e inesquecível só faltou não existir a plataforma, ela simboliza a deficiência e o imperfeito, não nosso, mas do espaço que não desejam que nos pertença também.

Por último deixo-vos um texto escrito pelo meu amigo Fernando Cardoso, no seu "minuto acessível":

“Hoje, foi um MOMENTO HISTÓRICO para o parlamento português. Pela primeira vez, um deputado discursou no púlpito sentado na sua cadeira de rodas. Até lá chegar, quis o acaso, o destino ou qualquer outra coisa que desse uma aparatosa queda. Deu-nos assim a metáfora perfeita para aquilo que é ainda a vida da grande maioria das pessoas com diversidade funcional em Portugal. Mas ele teve sorte, funcionários e deputados foram ao seu auxílio, ajudaram-no a levantar-se. E muito bem. Sucede que muito de nós continuamos estendidos no chão. Senhores Deputados quando nos ajudarão, também a nós, a erguer?”, conclui Rui Machado, licenciado em Psicologia da Saúde e mestre em Psicologia Clínica

Comentários