Pacientes com paralisias motoras passam a beneficiar do transporte do SNS

O transporte não urgente dos doentes com grau de incapacidade igual ou superior a 60%, de natureza motora, vai passar a ser assegurado pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS). Em causa estão pacientes com paraplegia, tetraplegia ou com paralisia cerebral.


Esta alteração à portaria que define as condições em que SNS assegura os encargos com o transporte não urgente de doentes, publicada dia 18/10 no Diário da República, pretende «garantir a proteção deste grupo mais vulnerável».

A medida entra em vigor no próximo dia 1 de novembro é ainda justificada pela necessidade da «garantir a equidade no acesso ao SNS através da implementação de medidas assentes na diferenciação positiva» dos pacientes com mais necessidades.

Fonte: Medicina online

Comentários