Loja do Cidadão em Coimbra sem acesso para deficientes

Em Coimbra, ir à Loja do Cidadão não é para todos. A única rampa de acesso para deficientes motores que existe é demasiado inclinada e não pode ser usada por pessoas que utilizem cadeira de rodas. 

Logo à entrada da praça onde se encontra o edifício, atravessar a passadeira só é possível com ajuda, caso contrário "é verdadeiro suicídio", conta Hélder Rocha, utente. A rampa "é demasiado inclinada". "Ao descer estamos sujeitos a cair da cadeira, mas com cuidado, ainda se faz".

Para subir "não dá" porque a cadeira, a dada altura, perde aderência, ficando a patinar sem conseguir ultrapassar o obstáculo. Hélder Rocha já denunciou o caso junto dos serviços da Loja do Cidadão e ficou incrédulo com a resposta: "Disseram que do lado de fora da Loja era da responsabilidade da Câmara de Coimbra." 

A primeira denúncia chegou à autarquia em junho de 2014, cuja resposta (a única que recebeu) dava conta de que iriam ser encetadas "todas as diligências, o mais brevemente possível". Pelo meio, Hélder Rocha tentou comunicar por email e mais recentemente voltou a dirigir-se à Câmara Municipal, onde reclamou por escrito em ofício dirigido à presidência, aos quais ainda não obteve resposta. 

Ao que o CM apurou, o impasse e a falta de resposta estarão relacionados com o projeto para a construção de uma via central, na Baixa, que vai alterar toda a zona e que foi recentemente aprovado pelo executivo. A intervenção contempla o reposicionamento de todo o piso, incluindo os passeios junto à Loja do Cidadão. As obras deverão começar no início do ano. O CM solicitou esclarecimentos à autarquia, sem sucesso.

Fonte: CM

Comentários

  1. "Disseram que do lado de fora da Loja era da responsabilidade da Câmara de Coimbra." A indiferença à necessidade de uma mudança no acesso é culpa de quem? Gostava de saber que insistiram e vão continuar a fazê-lo até melhorarem a entrada, mas a julgar pela resposta dada, não me parece. É fácil culpar os outros e virar as costas, principalmente quando não há castigo algum. Lembrem-se que somos todos cidadãos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E são espaços do "cidadão" e recentes.
      A Lei 163/2006 das acessibilidades: http://www.inr.pt/content/1/4/decretolei deu 10 anos para corrigirem as aberrações, mas termina este ano o prazo e tudo se está a preparar para darem mais 10 anos aos infratores e assim sucessivamente para dessa maneira nunca cumprirem a Lei.

      Eliminar

Enviar um comentário