Bolivia: cadeiras de rodas contra tanques e policias

Pessoas com deficiência estão entre as mais discriminadas na Bolívia. Fartos de ser ignorados, um grupo deles percorreu os Andes até à sede do governo em La Paz, pedindo para falar com o presidente Evo Morales. Mas só encontram polícias anti-motim, barricadas, gás lacrimogêneo e canhões de água.

Dirigido por um grupo de líderes determinados, tais como; Rose Mery, Marcelo, Feliza e Miguel, os manifestantes acamparam nas ruas, a uma quadra da praça principal, onde fica o palácio do governo. Pela primeira vez na história da Bolívia, a polícia ergue barricadas de 3m de altura, tanques de guerra e centenas de policiais antidisturbios para impedir que os manifestantes em cadeiras de rodas entrem na praça.

Conflitos violentos acendem-se entre a polícia e as pessoas com deficiência, incluindo o uso de spray de pimenta e canhão de água nos manifestantes. O governo se recusa a discutir seu pedido de uma pensão de US $ 70 por mês e os manifestantes se suspenderam das pontes da cidade em suas cadeiras de rodas.

À medida que a pressão pública cresce, Rose Mery e os seus companheiros de passageiros com cadeiras de rodas ganharão a luta?

Veja aqui o desfecho:


Fonte: The Guardian

Comentários