Que rendimento é necessário para uma pessoa com deficiência viver com dignidade em Portugal?

"Que rendimento é necessário para uma pessoa viver com dignidade em Portugal?":

Pergunto, que rendimento é necessário para uma pessoa com deficiência viver com dignidade em Portugal?


Quando se fala de viver com dignidade, deveríamos, TODOS, ler a avaliação do impacto dos custos financeiros e sociais na deficiência que, em 2011, o Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra realizou, e vejo muitas vezes esquecida...

O modelo de operacionalização do cálculo dos custos identificou cinco áreas de custos adicionais para as pessoas com deficiência, cruzando estas diferentes dimensões:

1. custos de assistência pessoal
a. apoio nas tarefas e vida doméstica
b. apoio técnico especializado
2. custos da vida diária
a. habitação
b. bens materiais
c. mobilidade e transporte
d. comunicação
e. lazer
3. custos de aprendizagem e formação
4. custos de oportunidade para o indivíduo
5. custos de oportunidade para a família

O estudo agrupou as diversas deficiências em 10 perfis para a avaliação dos custos:

PERFIL 1 Pessoas com alterações das funções mentais com implicações na concentração e atenção e limitações na resolução de problemas e tomada de decisões. Necessitam de apoio especializado para as aprendizagens básicas e o desenvolvimento de competências. Necessitam de algum apoio para a realização de uma rotina diária. - CUSTO TOTAL ANUAL 13 512€

PERFIL 2 Pessoas com alterações severas das funções mentais que implicam forte necessidade de apoio, pessoal e especializado, na resolução de problemas e tomada de decisões, na realização de uma rotina diária e nas principais áreas da vida. - CUSTO TOTAL ANUAL 21 144€

PERFIL 3 Pessoas com alterações das funções da visão com restrições na observação, necessitando de dispositivos de apoio para ampliar mensagens escritas e desenvolver algumas tarefas. - CUSTO TOTAL ANUAL 8 628€

PERFIL 4 Pessoas com alterações severas das funções de visão de que resultam fortes restrições na relação visual com o meio, implicando necessidade de formação em orientação e mobilidade. Para a comunicação escrita necessitam de formação especializada em Braille e de dispositivos de apoio. Necessitam de dispositivos de apoio para deslocações e realização de tarefas da vida quotidiana. - CUSTO TOTAL ANUAL 11 736€

PERFIL 5 Pessoas com restrições na audição que originam dificuldades na comunicação oral e na captação de alertas sonoros. De modo a optimizar as suas capacidades comunicativas, necessitam de competências na LP e na LGP. Na comunicação com os não falantes de LGP necessitam do recurso a um intérprete. Podem beneficiar do recurso a próteses auditivas. - CUSTO TOTAL ANUAL 7 716€

PERFIL 6 Pessoas com alterações nas funções orgânicas e/ou neuromusculoesqueléticas que implicam elevada necessidade de medicação e de tratamentos médicos. Têm restrições na execução de algumas tarefas e podem ter problemas moderados de mobilidade. A necessidade de cuidados continuados de saúde interfere com as principais áreas da vida e com a esfera comunitária e social. - CUSTO TOTAL ANUAL 8 832€

PERFIL 7 Pessoas com alterações das funções orgânicas e/ou neuromusculoesqueléticas que não têm restrições (ou com restrições moderadas) na execução de tarefas que implicam faculdades manipulativas, mas com problemas severos de mobilidade (mudar a posição básica do corpo) que implicam necessidade de apoio pessoal e de dispositivos de auxílio (nomeadamente cadeiras de rodas) para mover o corpo e realizar deslocações, assim como de adaptações nos meios de transporte. - CUSTO TOTAL ANUAL 19 248€

PERFIL 8 Pessoas com alterações das funções orgânicas e/ou neuromusculoesqueléticas que não têm restrições na execução de tarefas que implicam faculdades manipulativas. Têm alterações nas funções e/ou estrutura dos membros inferiores implicando dificuldades em andar e deslocar-se que, embora não requeiram cadeira de rodas, implicam necessidade de dispositivos de auxílio como próteses e ortóteses para assegurar a mobilidade. - CUSTO TOTAL ANUAL 5 100€

PERFIL 9 Pessoas com alterações das funções orgânicas e/ou neuromusculoesqueléticas que têm necessidades de apoio especializado e de dispositivos de auxílio para as aprendizagens básicas e a para a optimização da comunicação oral e escrita. Necessitam de apoio pessoal e dispositivos de auxílio para as tarefas de cuidado pessoal e da vida doméstica, para mover o corpo e realizar deslocações, assim como de meios de transporte adaptados. - CUSTO TOTAL ANUAL 20 892€

PERFIL 10 Pessoas com alterações das funções orgânicas e/ou neuromusculoesqueléticas com problemas severos de mobilidade (mudar a posição básica do corpo) e forte compromisso das faculdades de manipulação. Necessidade de apoio pessoal permanente para o desenvolvimento de todas as tarefas quotidianas e de dispositivos de auxílio para todas as funções relacionadas com o movimento. Necessitam de cuidados de saúde continuados o que gera fortes limitações nas principais áreas da vida. - CUSTO TOTAL ANUAL 26 304€

Deixo-vos a imagem onde podem verificar o cálculo para despesas do perfil 1, poderão consultar os seguintes no estudo e, porque este post já vai longo, aconselho a leitura do Capítulo 2 (UMA CARACTERIZAÇÃO DAS DEFICIÊNCIAS E/OU INCAPACIDADES EM PORTUGAL), depois confrontem os rendimentos com as despesas para que possam concluir de que forma vivem as pessoas com deficiência em Portugal.

Termino perguntando:
- Porque é que quase não se fala deste estudo nem se actualiza o mesmo?

Link para o estudo: http://www.ces.uc.pt/myces/UserFiles/livros/1097_impactocustos%20(2).pdf

Comentários

  1. Boa noite , reitero tudo o que é dito,a minha conclusão só é uma somos portugueses de 3 categoria, Só contamos para votos,os governantes não querem saber de nos para nada ,o que lhes interessa é que paguem os impostos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se nos organizarmos e EXIGIRMOS o que é nosso, quero ver se nos respeitam ou não.

      Eliminar

Enviar um comentário