Associação Salvador e instituições mobilizam cidadãos a serem solidários com a deficiência

Torres Vedras, Lisboa, 09 abr (Lusa)- A Associação Salvador lança hoje em Torres Vedras uma campanha que pretende criar uma onda de solidariedade a favor da deficiência em cada concelho do país e colocar instituições e cidadãos a contribuir participando em diversas atividades.


O projeto 'Juntos Por' vai começar em Torres Vedras, mas deverá chegar às Caldas da Rainha, a Braga e a Viseu até ao final do ano e abranger mais concelhos nos anos seguintes.

"Queremos mudar a vida das pessoas com deficiência e o projeto 'Juntos Por' é uma iniciativa em que se apela a toda a população para se juntar entre amigos, entre colegas de trabalho, nas empresas ou em instituições, ajudando", afirmou à agência Lusa Salvador Mendes de Almeida, presidente da Associação Salvador.

O objetivo desta causa passa não só por desenvolver e contribuir, de forma ativa, para a angariação de donativos, mas também ajudar a sensibilizar para dar condições de vida a pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida ou para acabar com barreiras arquitetónicas.

"A grande inovação está no facto de mobilizarmos instituições e cidadãos não a dar valores em dinheiro, mas a contribuírem através da sua participação em atividades", detalhou o coordenador do projeto 'Juntos Por', João Pedro Silva, à Lusa.

Nos concelhos onde o projeto é lançado, é escolhida uma instituição local de apoio a pessoas portadoras de deficiências.

Em Torres Vedras, a Associação Salvador associou-se à APECI (Associação para a Educação de Crianças Inadaptadas).

João Pedro Silva adiantou que o objetivo é angariar 40 mil euros, nos próximos três a quatro meses, a dividir entre as duas instituições.

A Associação Salvador vai aplicar o donativo no apoio ao desporto adaptado, enquanto o da APECI é destinado à construção de um segundo lar residencial.

Em Torres Vedras estão já agendadas 23 iniciativas, como um leilão de obras de arte, concertos, almoços ou lanches, uma concentração de motas, jogos de futebol e de hóquei em patins, teatro de revista, provas de atletismo ou caminhadas, cujos lucros das inscrições ou da bilheteira revertem para as duas instituições.

Em Portugal, um milhão de pessoas são portadoras de deficiências ou têm mobilidade reduzida, segundo a Associação Salvador, que comemora este ano 15 anos.

Fonte: DN

Comentários