Questionário: A autocompaixão e a atenção plena em técnicos de reabilitação e cuidadores de pessoas com deficiência

Esta investigação surge no âmbito da dissertação de Mestrado Integrado em Psicologia, na subárea de especialização de Intervenções Cognitivo-Comportamentais nas Perturbações Psicológicas e da Saúde, sob a orientação da Professora Doutora Paula Castilho.



O projeto de investigação visa a compreensão da relação entre a autocompaixão e atenção plena (mindfulness) e a fadiga da compaixão (burnout), sintomas psicopatológicos (ansiedade, depressão) e qualidade de vida dos técnicos de reabilitação e cuidadores de pessoas portadoras de deficiência. A autocompaixão tem sido crescentemente reconhecida pela comunidade científica pelo seu impacto positivo na saúde mental, qualidade de vida, felicidade e conectividade social. Desta feita, a compaixão apresenta-se como uma estratégia fundamental para a resposta emocionalmente adequada às exigências do trabalho, uma vez que promove o bem-estar psicológico e a resiliência, sendo de particular relevância para os profissionais das áreas da saúde, educação e reabilitação.

Responda ao questionário AQUI

A sua participação é de extrema importância e consiste no preenchimento de alguns questionários. Assim, solicitamos que não deixe nenhuma questão por responder, dado que tal invalidaria todas as suas respostas. Não existem respostas certas ou erradas, pretendendo-se apenas que responda da forma mais sincera e verdadeira possível. Os questionários são anónimos e confidenciais, sendo os dados utilizados unicamente para fins da investigação.

Fonte: O Deficientezinho

Comentários