De Coimbra à Tocha em cadeira de rodas para provar que a vida não é uma prisão

Ajuda "OS RODINHAS" a levarem a cabo mais um passeio em cadeira de rodas propulsionada por um Batec. A cadeira de rodas não é uma prisão, ajuda-nos a "voar".


No ano passado foram 21. Este ano, para já, são 60 as pessoas com mobilidade reduzida inscritas no II Passeio Adaptado com Batec e Bicicleta, a realizar no dia  7 de julho, promovido pela Associação Os Rodinhas de Portugal como forma de «mostrar às pessoas que a cadeira de rodas não é uma prisão e que há oportunidade de fazer exactamente as mesmas coisas que qualquer outra pessoa, até mesmo desporto, adaptado». 

Quem o garante sabe do que fala. Pedro Aguiar é, juntamente com Paulo Cortez e Rui Santos, fundador d' “Os Rodinhas de Coimbra” que deu origem a esta associação (ver caixilho). Natural de Brasfemes, onde reside, foi atropelado aos seis anos e o acidente “atirou-o” para uma cadeira de rodas que é, no fundo, a sua grande companheira de vida. Nada que o resignasse ou fizesse desistir. «Fiz a minha vida normal. Estudei, tirei a carta, formei- -me, casei e tenho uma filha», diz, tentando, com o seu exemplo, mostrar que «é importante aproveitar a vida, mesmo com limitações».

Fonte: Diário de Coimbra

Comentários