Quociente Intelectual Mediocre

Mais um intenso poema do nosso querido Nuno Vicente, tetraplégico devido à Osteogenese Imperfeita. Conheçam-no, aqui.

 Quociente Intelectual Mediocre

Eu, ser existente, de Quociente Intelectual medíocre, pois a consciência dói mais que qualquer doença. Sei da minha inequívoca condição de Filisteu, e tu, ser, "bastante" ilustrado, suficientemente, para me captar a atenção… Neste lugar que nos define, metamorfose de dor da existência consciente, da minha sobrevivência, pela existência do teu ser, que alimenta o meu Quociente Intelectual medíocre e alivia a inequívoca condição de Filisteu em que só me resta a resignação, admitindo assim, o que verdadeiramente, Sou! E assim, continuarei na mais profunda angústia, por não te alcançar nestas veredas desconhecidas, sabendo apenas que este estirão me afasta de ti, saturado de saber a fugacidade de tempo limitada, pelo meu ser, existente, sendo um simples espirro na eternidade! Nas páginas sombrias, deste meu Diário dos Sonhos, preenchidas por palavras, de quem, Ama o leito de teu ilustre ser, finito eu estou, sem o teu inconfundível e maravilhoso sorriso, nada mais consigo dizer, nestes escritos sobre um amor, onde as emoções se elevam acima da razão. Em que se estando perante a pessoa amada, o tempo pára, nada mais existe, a não ser ela mesma, que nos cura, por breves momentos as dolorosas feridas abertas por esse mesmo tempo agora suspenso, no meu subconsciente. Não sei o que mais dizer, para te pedir mais uma vez um sorriso teu, para mim, alimentando assim a esperança de o teu amor um dia ter! Tudo isto, nem vale a Utilidade da Lógica, não provando nada ter de Prático, vivendo tempos em que a Prática tem valor Acrescentado, vou voltar à Filosofia e Estudar Metafísica, Até Não Saber Nada, Como Eu, Não Sei! No fundo, Sou um Filisteu! Por isso mesmo, não poderei ter Opinião sobre assunto algum, deixo isso para os Ilustrados, que são Todos Os Outros, Menos Eu!

Comentários