Após sair de coma, tetraplégica acusa ex-companheiro de tentar matá-la

Depois de levar quatro tiros e ficar em coma por quase seis meses, uma mulher de Mato Grosso no Brasil se recuperou e apontou o ex-companheiro como autor dos disparos que a deixaram tetraplégica.

Ferida no pescoço, no braço e na perna em março, a cozinheira Rosimari de Souza Pereira, 35, ficou internada na UTI em estado gravíssimo.

O caso havia sido registrado na delegacia de Sorriso (412 km de Cuiabá) como tentativa de suicídio. Após passar quase seis meses em coma, Rosimari se recuperou e em 19 de setembro prestou depoimento. O caso, então, passou por uma reviravolta.

Rosemari afirmou, de acordo com a polícia, que o companheiro, Denerisvaldo Santos Silva, 35, tinha medo de que ela fosse denunciá-lo por um crime.

Denerisvaldo já era investigado por suspeita de envolvimento no desaparecimento de Lídio Marques da Silva, segundo a Polícia Civil da cidade mato-grossense.

Lídio da Silva sumira após uma festa em que ele e Denerisvaldo se desentenderam, no dia 3 de março, disse a polícia. Vinte dias depois, Rosimari foi alvejada.

"Ela contou tudo em detalhes. Com as indicações que deu, identificamos o local em que o corpo [de Lídio da Silva] foi enterrado", disse o escrivão Fernando Marques.

"A gente achou estranho porque foram quatro tiros e também pelo fato de o companheiro dela ser o principal suspeito de ter cometido um homicídio que estávamos apurando", diz o escrivão.

Denerisvaldo está foragido, e a mulher foi colocada sob proteção policial. O caso agora é investigado como tentativa de homicídio.

Fonte: Jornal Floripa

Comentários