Desistiu da Justiça por não conseguir entrar no tribunal

Um cidadão deficiente motor do Marco de Canaveses desistiu de processar criminalmente um vizinho
por agressão porque não consegue entrar no tribunal local. Não há rampas de acesso nem sanitários adaptados.

O queixoso, António Paulo Sousa Correia, 42 anos, ainda chegou a prestar declarações no gabinete do Ministério Público (MP), mas para aí chegar "foi o cabo dos trabalhos".

Foram precisas três pessoas para, à força de braços, o arrastar até ao interior do Palácio da Justiça. Uma vez aí chegado, levantou-se um outro problema: a cadeira de rodas não cabia na porta do gabinete do MP; foi necessário pegar no queixoso ao colo e fechar a cadeira de rodas para que ambos transpusessem a porta do gabinete.

Fonte: JN

Comentários