Aventuras noturnas de um tetraplégico: O pau ou os óculos?

Por João Rodrigues no Deficientezinho

São quase 2h da manhã e estou a ver Dr House na Netflix. Estava com comichão ao lado do olho esquerdo e tive uma ideia brilhantemente parva. Em vez de colocar o pau no suporte e coçar-me no pau (o pau que uso para escrever), pus o pau entre o meu braço esquerdo e o meu peito. Obviamente que ia dar merda.

Consegui coçar perto do olho e fiquei satisfeito dessa parte. No entanto, o pau começou a escapar para o lado. Estava a ficar fora do meu alcance. Tentei esticar a língua, tentei usar os fones para o puxar para mim… Mas nada resultava. Não podia usar o bom velho truque do fio dos fones porque estes meus novos fones são wireless…

Até que tive uma ideia estupidamente brilhante! Que tal eu tirar os óculos e puxar o pau usando uma haste dos óculos? Pareceu-me genial, mas percebi logo que ia haver uma baixa… Eu ia perder os óculos porque não ia conseguir coloca-los de novo. São óculos novos e ainda não treinei a parte de os colocar novamente nos olhos.

Fiz como a Fátima Campos Ferreira. Fiz um levantamento dos prós e contras. Ou neste caso, os prós de salvar cada um destes dois.

Prós de salvar os óculos (deixando cair o pau):
- Estava a ver a série na Netflix, logo não ia precisar do pau porque assim que um episódio termina, o seguinte começa automaticamente;
- Sem óculos eu ia ter algumas dificuldades em ler as legendas.

Prós de salvar o pau (deixando cair os óculos na mesa):
- Alguém podia falar para mim, e eu iria querer responder à pessoa;
- Podia não perceber algo no episódio e precisar de voltar atrás;
- Podia aparecer uma mosca no meu braço e eu ter de a enxotar;
- Podia acontecer algo grave e eu ter de ligar para o 112.

“Ver ou não ver?”
“Escrever ou não escrever?”
“Eis as questões…”

Pareceu-me que manter o pau e sacrificar os óculos seria o mais sensato. O plano era atirar os óculos para cima da mesa, mas não foi assim que esta epopeia terminou…

Iniciei a operação. Tirei os óculos, segurei uma das hastes na boca e puxei o pau para cima. Foi um sucesso! Estava com a haste na boca e o pau também na boca. É difícil segurar duas coisas ao mesmo tempo. Tentei pousar o pau no suporte para poder atirar os óculos para cima da mesa, mas os óculos caíram-me da boca!!!

Consegui que ficassem pendurados no pau. Agora, era preciso levantar o pau sem os deixar cair e pousá-los na mesa. Obviamente que falhei miseravelmente nessa missão. Os óculos caíram ao chão e arrepiei-me porque era a primeira vez que eu os estava a deixar cair.

Este sacrifício não foi em vão, pois pude conversar com uma amiga, escrever este belo texto e ver o resto de Dr House. Só tive de pôr o Word em zoom de 160% e o Google Chrome em zoom de 175%. Nada mais… Agora só tenho de ter cuidado e não pisar os óculos quando for dormir…

Amanhã conto-vos como isso correu…

PS: A amiga era a Joana Mendes. :)

Fonte: O Deficientezinho

Comentários