Lousada acessível


A autarquia de Lousada está a desenvolver o programa Rampa, fruto de uma candidatura ao Quadro de Referência Estratégico Nacional. O Rampa - Regime de Apoio aos Municípios Para a Acessibilidade tem previsto a execução de diversas acções que contemplam a melhoria da qualidade de vida da população em termos das acessibilidades.

O programa corresponde à segunda geração de planos de promoção de acessibilidades apoiados pelo Programa Operacional Potencial Humano e está inserido na tipologia de intervenção que tem como objectivo promover acções de investigação, sensibilização e promoção de boas práticas. Deste modo as intervenções, que se inserem no Plano Local de Promoção da Acessibilidade, têm como base a área da mobilidade urbana de forma a proporcionar às pessoas que possuam algum tipo de deficiência ou incapacidade uma maior integração.

A candidatura foi aprovada em Dezembro de 2010 e tem a duração prevista de 24 meses.

Este projecto tem como destinatários a sociedade civil, organismos de administração pública central e local, professores e outros agentes do sistema educativo, alunos, pessoas ligadas ao comércio, turismo e transportes e ainda empresas, associações empresariais e outras entidades empregadoras.

São cinco as áreas de acção estratégicas do Rampa, que passam por aspectos importantes como a via pública, os edifícios, os transportes, a informação e comunicação e também a infoacessibilidade.

A vereadora da Acção Social, Cristina Moreira, ressalva que a candidatura a este programa assume-se como fundamental, pois somente uma sociedade que trate as pessoas de acordo com as suas desigualdades físicas e motoras poderá ter um mundo mais justo. "Muitas vezes são condições passageiras, fruto de acidentes, mas também de limitações impostas pela idade. Por isso, o objectivo é a inclusão e justiça social para que cada vez mais as pessoas se sintam bem acolhidas e as ruas por onde andam sejam, de facto, seguras e acessíveis", referiu.

Autarquia aderiu à rede de cIdades para os idosos

A pensar também nas pessoas com limitações físicas, muitas vezes causadas pela idade, a autarquia associou-se ao projecto "Cidades Amigas das pessoas Idosas". O projecto visa identificar os aspectos positivos e obstáculos referentes a oito áreas estratégicas para que cada município identifique as áreas que estão adaptadas ou precisam de ser melhoradas, de modo a facilitar o dia-a-dia dos idosos e de toda a população.

Em Portugal, a Associação VIDA – Valorização Intergeracional e Desenvolvimento Activo deu início ao Projecto denominado cIDADES. O Projecto é co-financiado pela Direcção Geral da Saúde e pela Fundação Calouste Gulbenkian. Neste sentido, num contexto de envelhecimento demográfico, a participação no projecto configura-se de bastante interesse pois o diagnóstico das condições que o município de Lousada oferece à população idosa é particularmente útil para o desenvolvimento de um Plano Gerontológico Municipal, para além, de aferir o nível de satisfação da população sénior relativamente às áreas estratégicas.

Fonte: Verdadeiro Olhar

Comentários