Rede Europeia para a Vida Independente

Este ano no Dia Internacional das Pessoas com Deficiência (IDPD), estamos a pensar nas centenas de milhares de pessoas com deficiência na Europa trancados em instituições, expostas a abusos de direitos humanos, segregados de suas famílias e da resto da sociedade, e sem controle sobre suas vidas. Estamos também a pensar naquelas pessoas com deficiência incapazes de fazer escolhas básicas, por causa da falta de assistência pessoal, acessibilidade e capacidade jurídica, entre outros.

A Rede Europeia para a Vida Independente (ENIL) defende o direito de viver de forma independente ea ser incluído na comunidade para todas as pessoas com deficiência. Fazemos isso levantando preocupações sobre as leis, políticas e práticas que vão contra o artigo 19 da Convenção da ONU sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (CRPD). Além disso, podemos fornecer orientação para governos, prestadores de serviços e organizações sobre como afastar-se cuidado institucional e formulação de alternativas baseadas na comunidade que facilitam o direito a uma vida independente. Nós defendemos para o acesso das pessoas com deficiência a serviços de uso corrente, em vez da criação de sistemas paralelos.

Um exemplo do nosso trabalho sobre desinstitucionalização é a visita de estudo à Suécia, organizada em setembro por um grupo de ativistas de deficiência e as autoridades locais a partir de Bulgária, Espanha e Lituânia. O filme, que saiu da visita de estudo - que estamos a lançar por ocasião do IDPD - resume os principais fatores de sucesso para fechar instituições e substituindo-os por um sistema que facilita a inclusão e participação das pessoas com deficiência na sociedade.

Esperamos que este filme inspira as pessoas com deficiência que defendem desinstitucionalização em seus países, e que encoraja as autoridades para criar estratégias baseadas em uma visão de uma vida autónoma e participação da comunidade para todos . Somos gratos a Patrick Doodt por seu trabalho pro bono no filme, bem como a todos aqueles que fez a visita de estudo possível - a Estocolmo Disability Ombudsman, Stil, Sodexo, o Conselho Nacional de Saúde e Bem-Estar, Bosse, a Agência Sueca para a Participação ea Câmara Municipal de Estocolmo - Partido verde. Queremos também agradecer aos Open Society Foundations - Iniciativa de Saúde Mental para apoiar o trabalho de ENIL-se no artigo 19 da CDPD.

Assista As instituições não são Solutions: Aprender com a experiência sueca (versão longa)

Pessoa de contacto para a visita de estudo sueco: Jamie Bolling, Diretor Executivo, jamie.bolling@enil.eu Para ver a versão curta do filme, por favor clique aqui

Fonte e mais informações: Rede Europeia para a Vida Independente - ENIL

Comentários