Valores pagos pelo Estado aos lares para nos manter aprisionados. Assinatura de acordo com Setor Social e Solidário

Os ministros do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, da Saúde e da Educação assinaram no dia 13 de abril, em reunião plenária da Comissão Permanente do Setor Social e Solidário, um acordo com a Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade, a União das Misericórdias Portuguesas, a União das Mutualidades Portuguesas e a Confederação Cooperativa Portuguesa, CCRL, estabelecendo assim os princípios e os termos da Adenda ao Compromisso de Cooperação para o Setor Solidário, Protocolo para o biénio 2017-2018.


A comparticipação financeira da Segurança Social relativa ao funcionamento dos equipamentos e serviços sociais com acordo de cooperação para o ano de 2018 aumenta em 2,2% face ao observado em 2017, destinando-se à atualização de todos os acordos de cooperação relativos às respostas sociais, e visa compensar o acréscimo de despesas com o seu funcionamento, contribuindo para a sustentabilidade económica e financeira das instituições, essencial para a prossecução do desenvolvimento das respostas sociais.

Consulte a Adenda ao Compromisso de Cooperação para o Setor Social e Solidário 2017-2018 
Fonte: ISS

NÓS: retenho os valores pagos mensalmente pelo nosso aprisionamento em lares:
- Lar residencial: 1.027,03€
- Lar de apoio: 736,81€
- Ama/Creche: 397,03€
- Centro de Atividades Ocupacionais (8 horas diárias): 509,51€

Facilmente se verifica que o Estado gasta muito mais dinheiro mantendo-nos aprisionados sem a nossa vontade. Não nos atribui valores suficientes para nos podermos manter nas nossas residências, juntos dos nossos familiares e amigos porque não quer. Prefere excluir-nos da sociedade. Ninguém consegue compreender esta politica: 

- Para nos mantermos em casa, o Estado faz o grande favor de nos atribuir mensalmente valores entre 93,15 e 103,51€, e somente a quem usufrua mensalmente valores inferior a 600,00€ mas como podemos verificar acima, para nos obrigar a frequentar um lar despende mensalmente a esse lar: 1.027,03€ 

Como compreender tal injustiça e aceitá-la? Aqui não entra somente burrice, e má gestão dos nossos impostos, mas sim também malvadez, discriminação, desrespeito e muuuito medo de enfrentar os lobbys e interesses instalados.

Se depender de mim, continuarão a "levar" comigo. Eles que me aguardem. 



Comentários