sábado, 29 de fevereiro de 2020

Já arrancou o projeto Surfing4Inclusion

É noticia no ericeiramag.pt a iniciativa Surfing4Inclusion, um projecto piloto de inovação social e desportiva que visa, entre outros objectivos, criar um núcleo de Surf adaptado no seio do Ericeira Surf Clube (ESC), como havíamos avançado em Outubro.


A praia do Matadouro foi, no dia 10 de Fevereiro, o palco escolhido para o ESC, a Apercim Mafra e a Universidade da Beira Interior – UBI, com o apoio do Grupo Norte PT, darem o pontapé de saída para este projecto pioneiro.

Além da referida criação de um núcleo de Surf adaptado no Ericeira Surf Clube, o Surfing4Inclusion tem por base outros grandes eixos de acção:
- Desenhar metodologias e programas de treino de surf específicos e certificados para varias tipologias e graus de deficiência – mental, motora, visual, auditiva e múltipla
- Desenvolver soft skills e competências técnicas essenciais para o desenvolvimento da prática desportiva de surfing adaptado e detetar talentos que possam vir a federar-se e a competir a um nível nacional e internacional
- Socializar o surf como ferramenta de inclusão social, proporcionando a pessoas com deficiência e/ou com necessidades especiais a possibilidade de experimentar as várias modalidades de surfing
- Certificar professores e treinadores de surf, assim como técnicos de reabilitação em metodologias de treino e de acompanhamento de pessoas com deficiência e/ou com necessidades especiais em contexto desportivo e social
- Desenvolver uma rede de surf adaptado potenciada pela rede mundial de surf cities (World Surf Cities), de forma a acelerar a partilha de inovação e de boas práticas, de intercâmbio de técnicos, formadores, treinadores e atletas que permitam o desenvolvimento integrado do surf adaptado aos níveis europeu e mundial.

Serão integrados no Surfing4Inclusion 14 pessoas com deficiência, utentes da APERCIM, com idades entre os 20 e 40 anos, que serão divididas em 2 grupos e cujos praticantes/atletas possuem Deficiência Intelectual, Trissomia 21, Paralisia Cerebral, Deficiência Visual e Deficiência Motora. Durante a fase piloto (12 meses) estão previstas sessões técnicas indoor (ginásio e piscina) e outdoor (mar e rio) cujo acompanhamento técnico e de avaliação científica será efectuado por alunos de doutoramento do Departamento de Desporto da Universidade da Beira Interior.

Surfing4Inclusion visa, também, replicar boas praticas em prol do desenvolvimento do surfing adaptado e da inclusão por via do surf

Estão igualmente previstas a realização de sessões pontuais a alargar aos restantes utentes da APERCIM e de outras ONGPDs parceiras, assim como workshops técnicos, seminários e intercâmbios nacionais e internacionais com outros projectos similares, de forma a fomentar-se a partilha de conhecimento e a inovação relativa a metodologias e programas técnicos que permitam replicar boas práticas em prol do desenvolvimento do surfing adaptado e da inclusão por via do surf.

Para breve estão previstos mais desenvolvimentos deste projecto que tem tudo para ser ganhador e transformador da vida de muitas pessoas.

Sem comentários:

Publicar um comentário