Mulheres...gays...muçulmanas...

Parece uma história onde todas as probabilidades de desfecho estavam no lado oposto. Mas a história tornou-se realidade. Sahar Mosleh e Maryam Iranfar casaram-se na capital da Suécia, em Estocolmo. Ambas foram forçadas a fugir do Irão de onde são oriundas e onde os homossexuais são condenados à pena de morte,

O casal foi abençoado pelo imã Ludovic Mohamed Zahed, oriundo da Argélia e que actualmente vive na África do Sul por ser gay. A reluzir de orgulho e com as faces cobertas por sorrisos, Sahar Mosleh e Maryam Iranfar deram o nó depois de viverem nove anos juntas. O casamento teve um sabor agridoce para o casal, uma vez que ambas vêm do Irão, país onde os homossexuais podem pagar com a vida o facto de se apaixonarem. No seu país de origem, estas duas mulheres chegaram a sofrer no corpo 50 chicotadas pelo facto de a sua orientação sexual ter sito descoberta. Se tivessem continuado no país, à quarta infracção aplicar-se-ia a pena capital. Seguras na capital sueca, o casal, que se conheceu online, celebrou o seu grande dia durante a semana do Orgulho LGBT.

Na foto é possível ver Maryam, que está grávida do primeiro filho do casal, com Sahar, que sofre de uma doença congénita, e o imã que celebrou a cerimónia.

Fonte: dezanove

Comentários