Marcha pela Igualdade e a manifestação em Londres contra cortes no apoio aos deficientes


A manifestação aconteceu em Inglaterra mas poderia ter sido em Portugal, pois por cá a "crise" trouxe consigo um pacote de medidas que também incluiram (e prevê-se que incluirão ainda mais) cortes nos apoios dados às pessoas portadores de deficiência.

Em Inglaterra a implementação destas medidas justifica-se pela necessidade de serem mitigados alguns "abusos"... abusos, pergunto eu? Se se pensar bem, talvez não se tratem de abusos, mas sim da necessidade de aumentar o conforto e a qualidade de vida destes cidadãos que em virtude de serem mais vulneráveis que os demais, devem também ser mais apoiados. Parece(-me) lógico.

Por cá já está agendada uma marcha pela igualdade (http://marchapelaigualdade.com/) no dia 11 de Junho... espero que venha a dar frutos, a começar pela sensibilização das pessoas para esta realidade e, claro, apoiada em medidas concretas para a promoção da igualdade no nosso país.

Ecos by Ana




Manifestação em Londres contra cortes no apoio aos deficientes

«Foi uma marcha para mostrar a face mais cruel das medidas de austeridade que o Governo britânico pôs em marcha para reduzir o défice. Milhares de pessoas com deficiência desfilaram junto ao Parlamento para protestar contra os cortes nos apoios sociais que, segundo um estudo recente, vão afectar metade dos beneficiários.

Muitos dos manifestantes vieram em cadeiras de rodas, outros chegaram acompanhados de cães-guia e outros empunhavam cartazes identificando a condição que lhes limita a vida: autismo, surdez, paralisia cerebral...

“O Governo está a fazer sofrer os mais vulneráveis e é isso que não me cabe na cabeça”, disse à BBC Amanda Burt, cega de nascença (...). O Governo de David Cameron quer reduzir em 20 por cento os montantes gastos com o subsídio de apoio à deficiência, no âmbito de uma reforma que visa não só a poupança como acabar com o que diz serem abusos. (...)

Mas as associações acusam a coligação de fazer das pessoas com deficiência bodes expiatórios. “O Governo insiste em classificar a maioria dos que recebem estes subsídios como preguiçosos que não querem trabalhar e que não merecem ajuda”, lamentou Jane Harris, dirigente de um grupo de apoio a pessoas com doença mental (...).» In Público, 12/05/2011

Fonte: Eremita Urbana

Comentários

  1. Olá

    Sou professora de uma escola estadual e estou aqui lhe convidando para conhecer nosso blog de LIBRAS onde o nosso objetivo é expandir a Língua de Sinais, pois somos escola pólo para atendimento da pessoa com deficiência auditiva.
    Se você tiver um tempinho e interesse pelo assunto, venha nos visitar. O endereço é:

    http://eeblmlibras.blogspot.com/

    Abraços fraternos

    ResponderEliminar
  2. Já visitei e até conseguiria fazer alguns sinais, mas infelizmente minhas mãos não têm os movimentos finos.
    Boa sorte para vosso projeto.

    ResponderEliminar
  3. Eduardo, bom dia

    Em primeiro lugar gostaria de agradecer sua visita em nosso blog de LIBRAS. Obrigada pelas palavras carinhosas e de apoio.
    Em segundo gostaria de registrar aqui minha surpresa em ver que tb na Europa as dificuldades encontradas pelas pessoas com deficiência são tão grandes quantas as nossas aqui no Brasil. Parece que a humanidade ainda está muito longe de perceber que são nas diferenças que crescemos como seres humanos. Nossa bandeira aqui na escola é exatamente buscar o respeito as diversidades e mostrar que avançamos como "gente" quando olhamos o outro não como diferente, mas como alguém que vai nos ensinar, afinal todos ensinam e aprendem.

    Abraços fraternos

    Márcia Raquel e comunidade escolar da EEB Lauro Muller

    ResponderEliminar
  4. Márcia, a União Europeia deixa muito a desejar em relação á inclusão. Muitas exigências em tudo, menos na questão da deficiência.
    Fiquem bem

    ResponderEliminar
  5. Olá Eduardo,conforme falámos aqui te deixo algumas reflexões sobre a n/marcha do próximo dia 11 de junho.Em 1º lugar há que estabelecer objectivos,o que se pretende?Fazer um passeio,um convivio,ou aproveitar a ocasião para reinvindicar o que de há muito nos é devido.Do meu ponto de vista a última é a mais importante,e é mais importante porque se continuamos a assistir passivamente que nos tirem o pouco que ainda temos,não vamos a lado nenhum.Recordo que foi o governo PS que no inicio da 1ª legislatura nos retirou os beneficios fiscais em sede de IRS,recordo também que nas eleições de 2009 o PS foi o unico Partido que não incluiu no seu programa a reposição dos referidos beneficios.Mais recentemente fala-se no aumento do imposto automóvel e naretirada de beneficios fiscais ,se pensarmos que quem tem esses beneficios são os deficientes e os taxis além das pik-up como instrumento de trabalho,facilmente concluiremos que também aqui seremos prejudicados sendo que para muitos o carro substitui as pernas como sabes.Por outro lado a tabela de comparticipações de ajudas técnicas não sofre alterações de há anos a esta parte(mais uma promessa não cumprida pelo ministro das finanças)quanto às acessibilidades já falámos sobre isso existe legislação,mas ninguém cumpre.Qualquer marcha ou manifestação cujo conteudo não passe pelo que agora te esponho não faz sentido tais são as dificuldades porque passam as pessoas com deficiências e que de futuro se agravarão caso não seja feito algo que abane esta sociedade civil pouco receptiva a dar a mão ao próximo.Um abraço
    José Vivas

    ResponderEliminar
  6. Vivas, boa noite!

    Pensei que tinhas entendido os objectivos da Marcha. Vejo que também não visitaste nosso site. Lá tens toda a informação. Em destaque tens a palavra "REIVINDICAÇÕES". Basta clicares em cima dela, que te aparece ponto a ponto, e exemplos concretos de discriminações: http://marchapelaigualdade.com/wp-content/uploads/2011/04/Reivindicao.pdf é por isso e muito mais que lutamos. Inclusive enviamos para toda a comunicação social, nacional e regional.

    Também na primeira página, tens a palavra "QUEM SÃO". Clica em cima dela, que terás um texto bem explicito. Como vejo que estás com dúvidas, talvez outros também estejam, deixo-o aqui:

    São dois cidadãos portugueses com deficiência, independentes e sem ligação a nenhuma força política, religiosa ou associativa, que cansados de ver os seus sonhos roubados e direitos assassinados, resolveram agir.
    Querem sensibilizar a população em geral para a nossa causa.
    Mostrar à sociedade e poder político, que a deficiência existe e que é vivida todos os dias.
    Que têm deveres mas também direitos como todos os outros cidadãos. Por isso, resolveram-nos mobilizar e sair para a rua, na tentativa de criar um movimento vivo e unido em prol de uma sociedade mais justa e inclusiva.
    “Sabemos onde estamos, o que queremos!
    Queremos ser felizes, respeitados, queremos o nosso espaço, entender que a vida não é tão complicada como nos fazem crer forçando-nos a interiorização da limitação de um caminho traçado.
    Caminhamos pelo direito a escolher o nosso caminho, para que nos aceitem com as nossas diferenças, mas principalmente que nos deixem fazer acontecer e, por direito, fazer parte deste mundo e com ele interagir.
    Excluídos não podemos mais continuar. Nós estamos em todo o lugar e ninguém nos vê.
    Porquê?
    Porque se recusam a olhar.
    Estamos impedidos de entrar num hospital, clínica, restaurante, escola.
    Afastados do emprego, educação, transportes públicos, impedidos de ter uma simples cadeira de rodas, cegos de atravessar uma passadeira sem ajuda, surdos privados das notícias dos telejornais…
    Como não agirmos e nos unirmos?!
    Vamos também mostrar a todos os outros que estão acamados, totalmente dependentes e seus familiares, que não estão sós.
    Vemo-nos neles.
    Desejamos e precisamos muito da vossa colaboração e participação.
    Vamos provar que estão errados os que dizem que não somos unidos e incapazes de nos mobilizar.
    Vamos juntos caminhar por uma sociedade que se deve assumir responsável e inclusiva, em que sejam respeitados os direitos e proporcionadas oportunidades a todos por IGUAL!! ”

    Os organizadores:

    Eduardo Jorge
    Miguel Loureiro
    Sandra Freitas

    Se tiveres mais alguma dúvida, não hesites em nos contactar.

    Fica bem

    ResponderEliminar
  7. Que resposta tão completa...
    ADOREI E VOU DIVULGAR :)
    A Luta continua e "o Sonho comanda a Vida" por isso tb acredito que unidos venceremos!!
    Beijo grande Amigo e obrigado por existires na minha Vida
    Isa

    ResponderEliminar
  8. Obrigado Isa!
    Desculpa ainda não te ter dado noticias. Irei faze-lo brevemente. Depois explico-te porque esta demora.
    Espero que a apresentação do vosso livro na Covilhã "Unidos no Amor Contra a Indiferença", tenha corrido bem.
    Fica bem

    ResponderEliminar

Enviar um comentário