quinta-feira, 11 de junho de 2009

ROBÔ CONTROLADO PELO CÉREBRO A 1.500 KM DISTÂNCIA

em Jornal de Noticias Uma nova tecnologia que permite controlar um robô, a mais de 1.500 quilómetros de distância, utilizando apenas ondas cerebrais e a visão, foi desenvolvida por cientistas portugueses e suíços.

O projecto, coordenado por um investigador da Universidade de Coimbra, permite que um utilizador, na Suíça, com um computador e um dispositivo de eléctrodos na cabeça possa controlar uma máquina, em Portugal, por controlo remoto.

O cientista, na Suíça, "vê imagens de cá e reage lá", interagindo com o robô "sem teclas, apenas através de ondas cerebrais", disse à Agência Lusa Jorge Dias, investigador da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC).

"É um sistema de feedback visual", acrescentou, frisando que o investigador suíço dá "ordens" ao robô com a visão, através de um sistema direccional que permite à máquina mover-se para a direita ou esquerda, para cima e para baixo.

Argumenta que é uma tecnologia com "forte impacto social" já que permitirá que pessoas com deficiências motoras muito graves possam obter mais autonomia no seu dia-a-dia.

"Com um simples e discreto dispositivo de eléctrodos, cidadãos com necessidades muito especiais, por exemplo, TETRAPLÉGICOS ou acamados, terão autonomia para realizar tarefas quotidianas como atender o telefone, pedir ajuda, abrir a porta ou abrir o frigorífico", ilustrou Jorge Dias.

Sublinhando que o conceito de comando de uma máquina através de ondas cerebrais "está provado e validado", Jorge Dias sustentou que "a grande dificuldade e desafio" do projecto passava por garantir "uma interface robusta" entre os dados cerebrais e o robô, o que foi conseguido.

"No máximo, dentro de 5 anos esta nova tecnologia será mais popular porque é financeiramente atractiva e sem dificuldade de manuseamento", destacou.

Sem comentários:

Publicar um comentário