Novo fármaco abre a porta a reverter casos de tetraplegia


Uma droga capaz de regenerar as células da medula espinhal, abriu a porta para reverter estados de tetraplegia, de acordo com resultados preliminares de um ensaio clínico.

O medicamento foi testado em 48 pessoas, das quais 66% com lesões cervicais passaram da perda total do movimento para a recuperação de parte da mobilidade motora.

O cientista canadiano Michael Fehlings apresentou pela primeira vez o ensaio, com base na utilização da proteína B-210, criado na Universidade de Montreal para a farmacêutica Bioaxone e comercializado como "Cethrin" no congresso científico para a coluna Global Spine Congress realizado em Barcelona.

O estudo, realizado em oito centros de pesquisa nos EUA e Canadá, mostrou resultados "muito encorajadores" para mudar radicalmente o tratamento para pessoas que estão paralisadas em conseqüência de acidentes de carro ou de lesões desportivas, explica o neurocientista Europa Fehlings Imprensa.

O especialista em paralisia, com mais de 300 artigos científicos publicados, explicou que a droga usada no estudo, cujos resultados se publicarão nos próximos meses na revista Journal of Neurotrauma ", tem uma proteína fabricada por tecnologia de DNA recombinante .

É uma proteína que bloqueia uma molécula chamada Rho e impede que as células da medula óssea, destruídas ou gravemente feridas em um trauma, se podem regenerar.

No experimento, foi utilizada uma única dose da droga foi injetada durante a cirurgia para a regeneração óssea, e continuou a evolução do paciente por um ano, todos entre 2005 e 2007.

Por exemplo, o coordenador do estudo clínico mostrou o vídeo de um paciente com paralisia severa que não podia mover braços e mãos e não podia sustentar-se em qualquer posição.

"Depois de um ano, ele recuperou o uso das mãos, pode mover-se em uma cadeira e começou a caminhar com o auxílio de uma estrutura."

Nas lesões baixas, houve um baixo nível de regeneração, explicou, no entanto, nas vertebras cervicais conseguiram-se níveis muito significativos de melhoras.

O ensaio de fase I / II, verificou a segurança e viabilidade do tratamento, e o próximo passo serão estudos aleatórios com grupos de controle e um protocolo rigoroso..

"Vimos que a droga é segura e viável, e isso é muito animador, porque é a primeira vez que um recombinante é usada para promover o crescimento de fibras nervosas. Agora temos que fazer com que realmente funciona para um grande número de pacientes" observou Fehlings.

Fonte: europapress.es Noticia enviada por: Francesc Xavier Rotllan

Comentários

  1. Joaquim, já não dou grande importância a estes ensaios/pesquisas/estudos. É muito bom saber que continuam activos, mas nada mais que isso.
    Há anos que saem estas noticias, mas não passa disso.
    Fique bem.

    ResponderEliminar
  2. Olá,amigo.
    Tudo bem?
    Boas notícias,mas queremos realmente algo concreto,pois de teoria estamos fartos.

    ResponderEliminar
  3. Estou bem, Fábio. Obrigado.
    Concordo. Se fosse armamento tudo seria diferente...
    Fica bem

    ResponderEliminar
  4. Estou contigo Eduardo!! Não quero parecer cético, mas também já vi e ouvi de tudo!!!
    E concordo também, sobre "se fosse armamento seria diferente" inclusive, a tecnologia que se dispõe para destruir o planeta 100 vezes, é da década de 1930.....
    Fica bem amigo!

    ResponderEliminar
  5. É desolador e muito triste chegarmos a estas conclusões Flávinho. Mas as evidências falam por si. Não damos lucro...
    Fica bem

    ResponderEliminar

Enviar um comentário